“O mercado de arte é o bitcoin para os ricos”, ouvi essa frase em algum vídeo no Youtube e a partir dela comecei perceber as semelhanças entre o mercado de Bitcoin e o de arte, além das oportunidades que existem na intersecção entre eles.

Bitcoin é arte?

Para muitos desenvolvedores o código do Bitcoin já é uma obra de arte em si, pois ele é a maneira de expressar emoções, pensamentos e ideias. Mas, além disso, o Bitcoin abriu as portas para novas expressões usando tanto a própria moeda quanto a tecnologia por trás dela.

A criptomoeda serviu de inspiração para diversos painéis, grafites e quadros, como as famosas pinturas do artista francês Pascal Boyart (PBoy).

Pboy mural

A tokenização em blockchain:

Se PBoy está fazendo suas obras de graça apenas inspirado pela revolução de Satoshi Nakamoto, alguns empresários viram na tecnologia do blockchain uma oportunidade para democratizar o investimento em arte e lucrar com isso.

Garota com olhos cobertos por moeda de bitocin e envolta em números
CRYPTO STYX de Tanya Shatseva, Russia

É o caso da Maecenas, uma empresa que está digitalizando obras famosas e vendendo shares em forma de tokens na rede Ethereum. A startup faz a curadoria das obras, due diligence e oferece por dólar ou/e criptomoedas uma participação nos trabalhos. Dessa forma, em vez de comprar uma obra por US$30 mil você pode comprar uma fração.

Como o formato do token é o padrão ERC-20, praticamente qualquer exchange pode listá-lo e ainda há a oportunidade (ainda não explorada) do uso das obras como colateral em DeFi e empréstimos.

processo de tokenização da obra de arte
Processo de tokenização da obra de arte

Para quem quer comprar diretamente uma obra inteira algumas empresas já aceitam bitcoin, é o caso da Singulart que conta com diversas obras relacionadas a criptoeconomia e revolução financeira.

arte por bitcoin
Dollar Billiardaire deAlain Mimouni, France

Problemas e oportunidades

Apesar da inovação, alguns acreditam que a tokenização das obras não faz sentido. É o caso de Michael Rugaard, editor chefe do site especializado em tokenização Tokenizer.io, para ele a falta de acesso físico ao trabalho é um grande empecilho.

“Quando se trata de tokenização da arte, propriedade fracionária e democratização dos investimentos em arte, reconheço que pode ser um bom investimento do ponto de vista financeiro, mas, de fato, não há garantias. Além disso, acho difícil entender por que seria atraente possuir um pedaço de uma pintura de Warhol se não tenho acesso físico ao trabalho, se não posso pendurá-lo em meu apartamento e gostar de morar com ele”, afirmou Jull Rugaard.

Já para Jacqueline O’ Neill, fundadora e CEO da Blockchain Art Collective, a principal dificuldade do mercado de tokenização artística está na falta de interesse e ela explica como esse problema pode ser superado:

“Se uma plataforma faz parceria com artistas com quem as pessoas se importam e gostam de seguir, as pessoas participarão. Caso contrário, as pessoas simplesmente não se importam.

Pense nisso como um cartão de recompensa de companhias aéreas. Se você voa apenas uma vez por ano, provavelmente não está no mercado para um cartão como esse. Apenas não é útil o suficiente para você. Mas se você está constantemente viajando pelo país em busca de negócios, é muito mais provável que receba esse cartão de recompensas.” disse Jacqueline.

Entretanto, há diversas oportunidades não exploradas como o uso de sistemas de crowdfunding tokenizado em blockchain para incentivar pequenos artistas e ajudar na manutenção de museus. 

“Por um lado, permite que museus e outras instituições levantem dinheiro sem contrair empréstimos com juros altos. Em vez disso, eles têm a oportunidade de vender ações de uma das obras que já possuem. Usando esse dinheiro, eles poderiam expandir ainda mais sua coleção – sem depender de empréstimos caros.

Os artistas poderiam usar os investimentos para financiar seu próprio trabalho, vendendo ações das próximas obras de arte e potencialmente aumentando seu valor através do boca a boca e do comércio.”afirmou a fundadora da Blockchain Art.

Leia também: Ouça, desenhe e grafite com a sua criptomoeda favorita