O Ethereum passou por um hard fork, apelidado de “Istanbul”, no qual seis atualizações distintas foram adicionadas à rede no número de bloco 9.069.000.

O que exatamente aconteceu:

  • A mais recente atualização de rede da Ethereum, Istanbul, foi lançada no bloco de número 9.069.000
  • Istanbul contém seis atualizações distintas para melhorar o desempenho, ajustar os custos dos códigos de operação, permitir que Ethereum e Zcash interoperem e habilitar funções mais criativas por meio de contratos

Um hardfork refere-se a uma mudança radical no protocolo subjacente de uma rede que cria novas regras que definem quais blocos e transações a rede considerará válida.

Devido à natureza descentralizada do blockchain, a comunidade precisa trabalhar entre si e com os desenvolvedores do sistema para concordar com quais mudanças serão programadas em vários clientes, que, no caso da Ethereum, incluem Geth, Parity e Nethermind.

Até o momento, a rede Ethereum passou por sete hardforks, incluindo Constantinople, Spurious Dragon e Byzantium.


Recomendado para você:
++ Bitcoin Core 0.19 é lançado, veja o que há de novo


O Ethereum atualizou, e agora?

Os clientes regulares de um serviço de bolsa ou carteira baseado no Ethereum não precisam tomar nenhuma ação, a menos que informado de outra forma pelo seu provedor de serviços.

Mineiros ou operadores de nó, por outro lado, precisam atualizar seu cliente Ethereum para a versão mais recente para executar Istanbul em Rinkeby, Goerli e Ropsten. Caso contrário, eles permanecerão em uma cadeia incompatível e não poderão operar na rede Ethereum pós-atualização.

Os desenvolvedores devem revisar todos os EIPs para determinar se o contrato atual é afetado por algum deles. Nesse caso, eles precisam atualizar seus contratos de acordo.

Entenda o que mudou com o Istanbul

O Istanbul contém seis atualizações distintas, ou Ethereum Improvement Proposals (EIP):

EIP-152: adicione a pré-compilação ‘F’ da função de compressão Blake2

Esse EIP possibilitará que a função hash BLAKE2b seja executada de forma mais barata no Ethereum. Isso melhorará a interoperabilidade entre o Ethereum e o Zcash, permitindo contratos como atomic swaps confiáveis ​​entre cadeias e adicionando recursos de privacidade à rede.

EIP-1108: Reduza os custos com gás alt_bn128 pré-compilado

Em 2018, a biblioteca subjacente usada pela implementação de referência Go oficial para implementar ECADD e ECMUL foi alterada para a biblioteca bn256 do Cloudflare, levando a melhorias de desempenho. A redução do preço dos pré-compiladores incentivará o surgimento de mais soluções de privacidade e dimensionamento na rede.

EIP-1344: Código de operação ChainID

A abordagem atual é que os implementadores do cliente especifiquem manualmente o ID da cadeia no momento da compilação, o que levou a riscos maiores de erros humanos, causando perda de fundos ou ataques de retransmissão. Com esse EIP, os desenvolvedores podem acessar e validar o ID da cadeia com base no código de operação proposto, além de implementar facilmente alterações no ID da cadeia.

EIP-1884: Repricing para opcodes dependentes de tamanho triplo

Vários opcodes tornaram-se mais intensivos em recursos devido ao crescimento da rede Ethereum. Esse EIP aumentará o custo do gás para esses códigos de operação, a fim de restaurar o equilíbrio entre o preço de uma operação e a quantidade de recursos que consome.

EIP-2028: Redução de custo de gás de dados de transação

Esse EIP reduzirá o custo do gás da Calldata de 68 gás por byte para 16 gás por byte. Mais dados poderão caber em um único bloco, o que resultará em maior largura de banda e maior escalabilidade. Blocos maiores também têm implicações de segurança, pois haverá um atraso maior na rede associado à transmissão de dados. Como resultado, menos nós serão gerados dentro de um determinado tempo e o custo de atacar a rede diminuirá.

EIP-2200: Medição de gás para operações SSTORE

Este EIP propõe uma definição estruturada de medição de gás no SSTORE. O esquema de redução de gás resultante permitirá que os contratos adicionem novas funções, como bloqueios de reentrada e envio múltiplo no mesmo contrato.