• A Avalanche Foundation está lançando o Multiverso, um programa de aceleração de projetos blockchain para a criação de subnets em seu ecossistema.
  • O programa já conta com alguns parceiros e beneficiários de renome como AAVE e DeFi Kingdoms; e 4 milhões de AVAX como fundo de apoio (~US$ 290M).

O multiverso da Avalanche Foundation

O anúncio foi feito oficialmente na terça-feira, 08 de março, no perfil oficial da Avalanche Foundation no twitter.

O multiverso é, segundo a equipe, “um programa de incentivo de até US$ 290 milhões focado em acelerar a adoção e o crescimento de subnets.”

“O Avalanche Multiverse está focado no suporte a novos ecossistemas, incluindo jogos habilitados para blockchain, DeFi, NFTs e casos de uso institucionais.” – continuou o anúncio.

O que são as subnets e como a Avalanche funciona?

A Avalanche (AVAX) pretende resolver problemas de escalabilidade presentes em sua concorrente, Ethereum, através de uma infraestrutura blockchain inovadora e única deste projeto em toda a indústria.

A proposta (que já está ativa desde agosto de 2021 e vem funcionando aparentemente bem, para o observador de fora) é a existência de três blockchains diferentes dentro de uma mesma rede e sujeitas a regras similares. Aliviando uma possível sobrecarga de transferência, validação e armazenamento de dados, ao distribuir este esforço entre 3 blockchains conectadas entre si.

  • X-Chain: Blockchain para transferências do token nativo AVAX, seu funcionamento é em DAG (Directed Acyclic Graphs), uma tecnologia utilizada em outros protocolos conhecidos como Nano, Fantom e IOTA.
  • C-Chain: Blockchain para contratos inteligentes compatível com a EVM (Ethereum Virtual Machine), a mais utilizada por protocolos que estão trabalhando com a Avalanche como AAVE, TraderJoe, Benqi, entre outros.
  • P-Chain: Blockchain para validação das subnets; os nodes validadores desta blockchain podem criar outras blockchains independentes entre si, mas dependente da P-Chain e validam as transações de todas elas.
Infográfico ilustrando o funcionamento da Avalanche com cada blockchain, conforme explicado.

Subnets não chegam a ser uma segunda camada, mas é algo bem próximo a nível conceitual.

Isso ocorre porque, em uma segunda camada, as transações naquela camada não são validadas integralmente pela camada principal, mas seguem suas próprias regras e depois são lançadas e validadas em lotes, com grandes blocos que contém diversas transações.

As subnets, por outro lado, já podem possuir validação integral da P-Chain ou, se preferirem, trabalhar através dos lotes. Cada uma cria suas próprias regras dentro das limitações impostas pelos validadores gerais.

4 milhões de AVAX para incentivar a criação de subnets no Multiverso

A fundação separou um máximo de 4 milhões de AVAX, que correspondem aproximadamente a US$ 290 milhões para investir em projetos promissores que tenham interesse em criar as primeiras subnets do ecossistema.

Para a fundação é um movimento necessário, pois a grande promessa de escalabilidade e sustentabilidade da equipe é dependente do bom funcionamento e da adoção destas subnets.

O Multiverso da Avalanche trará inicialmente uma subnet para o protocolo DeFi Kingdoms, originário da Harmony (ONE), com um máximo combinado de US$ 15 milhões em incentivos para $AVAX e $CRYSTAL, um novo token criado em contrato inteligente na Avalanche pela DeFi Kingdoms para complementar seu token $JEWEL já existente.

Além disso, a Avalanche Foundation irá colaborar com Aave, Golden Tree Asset Management, Wintermute, Jump Crypto, Valkyrie e Securitize, para criar a primeira blockchain DeFi (também em subnet) focada em institucionais e com funcionalidade de KYC integrada.

O que é negativo para a privacidade dos usuários independentes, mas a nível institucional pode ser interessante, tanto para que as instituições financeiras estejam de acordo com atuais e futuras regulamentações (que exigirão KYC), como também para o próprio mercado conseguir acompanhar o movimento destas grandes empresas de capital de risco que jogam com o mercado e são verdadeiras baleias financeiras.

Avalanche Rush já mostrou efeitos positivos no passado

Desde o lançamento em 18 de agosto de 2021, o programa de aceleração anterior – Avalanche Rush – fez o valor total bloqueado (TVL) na Avalanche aumentar de US$ 312 milhões para quase US$ 16 bilhões, com endereços únicos crescendo de 137 mil para 2,2 milhões e o número de transações subindo de 4 milhões para 112 milhões.

Agora com o Avalanche Multiverse podemos ver um novo crescimento semelhante.

Leia mais:

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br