O banco central da Venezuela está executando testes internos para determinar se pode adicionar criptomoedas, especificamente bitcoin e ethereum, às suas reservas internacionais, de acordo com um relatório da Bloomberg.

O teste foi realizado a pedido da Petroleos de Venezuela SA (PDVSA), empresa estatal de petróleo e gás natural. A PDVSA espera que o banco central venezuelano pague aos fornecedores da empresa em seu nome usando o bitcoin e o éter que obteve.

Devido a sanções dos EUA, a PDVSA tem tido dificuldade para fazer negócios com seus clientes e fornecedores, uma vez que grandes bancos evitaram ter relações de negócios com a empresa. De acordo com a Bloomberg, não está claro como a PDVSA conseguiu obter bitcoins e ethers. Também não se sabe a quantidade de criptomoedas em posse.

Em 2018, o governo venezuelano lançou o Petro, uma criptomoeda emitida pelo estado, apoiada pelas reservas de petróleo do país. Mais recentemente, funcionários do governo lançaram várias plataformas para incentivar o uso do Petro.

Fonte: theblockcrypto.