O Reserve Bank da Índia (RBI) ordenou que o Banco Indiano PMC não realize negócios por seis meses e limite os saques a 1.000 rupias, colocando a vida de milhares de comerciantes, trabalhadores independentes e assalariados em desordem. O regulador também nomeou um administrador para o banco.

Fundado em 1984, o PMC Bank era o banco mais jovem a obter o status de um banco agendado em 2000 e uma licença da categoria 1 de vendedores autorizados no ano de 2011 para negócios cambiais pelo RBI.

O PMC Bank possui 137 agências espalhadas por sete estados. O banco tem várias pequenas empresas, sociedades e instituições de habitação como seus clientes.

O que deu errado com o Banco Indiano?

Analisando o Relatório Anual e o Balanço, tudo parecia um absurdo. O banco, que tem uma base de depósitos de pouco mais de 11.000 milhões de rupias, reportou um lucro líquido de 99,69 milhões de rupias em 2018-19, em comparação com 100,90 milhões de rupias em 2017-18.

O banco mostrou 3,76% dos adiantamentos como ativos não produtivos brutos em março de 2019, o que foi um bom desempenho, considerando que os bancos do setor público registraram mais de 10% dos NPAs brutos.

Mas acabou que o banco suprimiu os ativos pegajosos e os subnotificou; o total de empréstimos podres poderia estar entre 2.000-2.500 rupias. Não havia como o banco ter feito provisões para níveis tão altos de empréstimos podres.

Embora o auditor do banco não tenha sinalizado a questão no Relatório Anual de 2018-19, o RBI tornou-se duro devido a uma enorme divergência nos relatórios de empréstimos ruins.

O banco estava financiando uma série de empresas, principalmente no problemático setor imobiliário, lideradas pela Housing Development & Infrastructure Ltd (HDIL). Os bancos comerciais já declararam o HDIL inadimplente. Rakesh Kumar Wadhawan é o presidente da HDIL e seu filho Sarang Wadhawan é o vice-presidente e MD.

O diretor administrativo do PMC Bank, Joy Thomas, registrou na quarta-feira que o banco havia concedido empréstimo a Wadhawan mesmo depois que a empresa (HDIL) deixou de pagar empréstimos a outros bancos e a empresa foi levada ao Tribunal Nacional de Direito das Empresas (NCLT) por insolvência. No entanto, Thomas afirmou que o empréstimo era muito menor do que 2.500 milhões de rupias citados na mídia.

Em 20 de agosto de 2019, a NCLT admitiu um pedido de insolvência movido pelo Banco da Índia contra o HDIL em conexão com um default de empréstimo de Rs 522 milhões.

Quais os próximos passos?

O RBI nomeou J B Bhoria como administrador do PMC Bank; ele está responsável em trazer o banco de volta aos trilhos. O conselho de 14 membros do banco liderado por Waryam Singh foi substituído.

Seguindo as ações do RBI na frente bancária cooperativa, uma opção é que o PMC Bank seja fundido com outro banco. Entre 2004 e 2018, o RBI fundiu 72 bancos cooperativos somente em Maharashtra. Em todo o país, o número de bancos cooperativos urbanos caiu de 1.926 para 1.551 nos últimos 15 anos.

Se o banco for liquidado, o que é menos provável, os depositantes receberão 1 lakh de rupias (equivalente a 5.850 reais), independentemente da quantia que eles depositaram. Os pequenos depositantes não precisam entrar em pânico, pois o banco tem cobertura de Seguro de Depósito e Corporação de Garantia de Crédito, na qual os depósitos de até 1 lakh são cobertos. O banco também afirmou que possui ativos suficientes para cobrir o passivo

Fonte: India Nexpress.

A importância do Bitcoin

Os indianos podem estar precisando de uma moeda como Bitcoin e ainda nem sabem. Um livro contábil aberto e distribuído resolve todos os possíveis problemas de insolvência. Não há necessidade de confiança, e a propriedade dos ativos é determinada pela criptografia, se só você tem a chave privada de uma carteira, ninguém toma seu dinheiro de você, ele estará pra sempre disponível.