Segundo dados do site Cambridge Centre for Alternative Finance da Universidade de Cambridge nos Estados Unidos, a rede do Bitcoin já consome mais energia que muitos países.

Para funcionar, o Bitcoin precisa de máquinas gerando centenas de milhares de hashs por segundo. Esse é um processo que energia, mas é necessário para a segurança da rede.


Saiba mais sobre mineração nos seguintes conteúdos:

Como minerar Bitcoin? Como funciona a mineração?


No começo do Bitcoin bastava você ter um computador comum para minerar, hoje, verdadeiras fazendas de mineração fazem esse papel.

Veja também: Fazenda para minerar Bitcoin do tamanho de 57 campos de futebol vai abrir nos EUA

Em conjunto, todos os mineradores gastam uma média de 92,37 TWh por ano. Para colocar em perspectiva, o Cambridge Bitcoin Electricity Consumption Index (CBECI) comparou o consumo do Bitcoin com outros países.

Consumo de energia por país e o bitocin no 35° lugar do gráfico

Se o Bitcoin fosse um país, ele seria o 35° em consumo energético do mundo. A criptomoeda já consome mais energia que o Chile, Finlândia e o Paquistão.

Bandeira de países por consumo de energia e o Bitcoin

Com tanto consumo, será que o Bitcoin não está destruindo o meio ambiente? Essa é uma dúvida comum que respondemos no post “Bitcoin não vai destruir o meio ambiente“.

BitcoinToYou –  Negocie criptomoedas sem pagar taxa
 
A primeira corretora do Brasil, negociamos criptomoedas desde 2010. 
Abra sua conta grátis!