Nesta quinta-feira (10), após a breve retração de ontem, o bitcoin (BTC) entrou na ofensiva mais uma vez e atingiu US$ 44.000. A maioria das moedas alternativas também está no verde hoje, com o ETH atingindo US$ 3.260, segundo o Coingolive

Confira também no Resumo de Mercado de hoje a fala do Diretor do Banco Central que reforça o tom mais duro adotado pelo Copom na última reunião. O BC avisou na ata de seu Comitê de Política Monetária que precisa dar uma dose maior de juro para baixar a inflação.

Bitcoin parte para ofensiva
Ranking de Criptomoedas – Fonte: Coingolive.com

Bitcoin acima de US$ 44 mil 

Faz cerca de uma semana desde que a maior criptomoeda começou sua ascensão. O ativo estagnou perto de US$ 37.500 em 4 de fevereiro, mas os touros se animaram e começaram a empurrá-lo para o norte.

Leia também: Baleias compraram 220 mil bitcoins desde dezembro, maior acumulação desde 2019

O BTC agregou mais valor novamente. Desta vez, atingiu uma alta de várias semanas de cerca de US$ 44.000 antes de subir para US$ 45.500 pela primeira vez desde o início de janeiro.

Após vários dias de ganhos contínuos, esperava-se, até certo ponto, que houvesse uma ligeira retração. Aconteceu ontem quando o BTC caiu alguns milhares de dólares para US$ 42.500.

Entenda: Depois da maior apreensão de bitcoin da história, BTC recua 1%

No entanto, o bitcoin reagiu bem a essa queda de preço e adicionou mais de US$ 1.500 desde então. Como resultado, agora está acima de US$ 44.000 e sua capitalização de mercado se aproxima de US$ 850 bilhões. De acordo ainda com o Coingolive, a dominância líquida do bitcoin sobre as 100 principais altcoins é de 61,76%. 

Diretor do Banco Central reforça tom mais agressivo do Copom

O Banco Central (BC) avisou na ata de seu Comitê de Política Monetária (Copom) que precisa dar uma dose maior de juro para baixar a inflação. 

Bruno Serra Fernandes, diretor da autarquia, reforçou: “Já sinalizamos que o ciclo se estende por um par de reuniões pelo menos”. 

Segundo o diretor de política monetária do BCB, o cenário apontado pelo mercado antes do encontro para a taxa básica de juros não é suficiente para entregar a inflação na meta até 2023. Na prática, isso significa que o aperto deve ser ainda maior.

Com as perspectivas para a política monetária novamente no foco dos participantes do mercado, as taxas de juros de curto prazo voltaram a subir com força ontem. Nos mercados de câmbio e bolsa, o fluxo externo positivo voltou a favorecer os ativos locais e o dólar (USDC) terminou o dia em R$ 5,26, com -0,02% de queda em 24 horas. 

Enquanto isso, o Ibovespa teve um fechamento levemente positivo (0,20%) aos 112.461 pontos, a despeito da desvalorização expressiva das ações do Bradesco.

O tom mais agressivo também foi adotado pelas autoridades americanas para lidar com a inflação no exterior. O Consumer Price Index (CPI) deverá subir 0,4% ou 7,2% ano a ano – de acordo com as expectativas de mercado, mostrando a inflação global no ritmo mais alto desde 1982. 

O índice é fundamental para os mercados, uma vez que a inflação é vista como um gatilho direto para os aumentos das taxas de juros do Federal Reserve, e os economistas estão baseando suas previsões para o BC em quanto eles acham que a inflação diminuirá em relação ao seu ritmo acelerado.

As áreas sombreadas indicam recessões nos EUA.
As áreas sombreadas indicam recessões nos EUA. – Fonte: Bureau of Labor Statistics.

Economistas disseram que o CPI de janeiro pode mostrar os primeiros sinais de uma tendência de inflação de bens mais lenta e aumento mais rápido dos preços de serviços, incluindo abrigos. Espera-se que isso se torne mais aparente à medida que 2022 se desenrola.

O FED deixou claro que vai combater a inflação e espera-se que aumente as taxas de juros várias vezes este ano, começando com um aumento de 0,25 ponto percentual em março.

A maioria corrigiu ontem, mas ficou verde hoje 

As moedas alternativas imitaram em grande parte o desempenho do BTC ultimamente. Como tal, a maioria corrigiu ontem, mas ficou verde hoje.

O Ethereum caiu abaixo de US$ 3.100, mas um aumento de 3,5% desde então levou a segunda maior criptomoeda para US$ 3.200 agora.

Binance Coin, Ripple, Terra e MATIC marcaram ganhos semelhantes, enquanto Cardano, Solana, Polkadot, Avalanche e Dogecoin retrataram aumentos mais modestos.

Leia Mais: Gas – Taxas de rede da Ethereum superam R$1.500 na Uniswap

O resultado das principais altcoins nas últimas 24 horas é o seguinte: Ethereum (+4,04%), Binance Coin (+2,74%), Ripple (+3,41%), Cardano (+0,79%), Solana (+1,00%), Polkadot (+3,17%), Terra (+2,54%), Avalanche (+1,64%), Dogecoin (+1,51%), Shiba Inu (+6,09%) e Polygon (+3,30%). 

De acordo com o CoinGoLive, a capitalização de mercado de todos os ativos cripto aumentou para cerca de US$ 2,14 trilhões nesta quinta-feira.


Acompanhe as notícias do mercado cripto no grupo do Telegram do Cointimes (acesse) e tenha um ótimo dia de negociações.

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br