Em tentativa de mitigar os efeitos da incomparável crise causada pelo coronavírus, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil anunciaram medidas temporárias tomadas para auxiliar o público.


Leia também: FMI anuncia empréstimo de US$1 trilhão com “dinheiro imaginário”


Caixa Econômica Federal

Por parte da Caixa, temos as seguintes mudanças:

  • Opção de suspender, por até 60 dias, operações parceladas de crédito e pagamento de contratos de empréstimos vigentes para pessoas físicas (e empresas);
  • Ampliação de linhas de crédito consignado, incluindo para aposentados e pensionistas do INSS;
  • Redução de taxas de juros em linhas de crédito pessoal – Crédito Consignado a partir de 0,99% a.m., Penhor a partir de 1,99% a.m. e Empréstimo Regular (CDC) a partir de 2,17% a.m.
  • Disponibilização gratuita de cartões de débito virtuais para correntistas e poupadores que desejam realizar compras online por e-commerce. Este pode ser ativado no Internet Banking Caixa;
  • Renovação do contrato de penhor pelo site Caixa e canal de Telesserviço, evitando ao máximo comparecer a uma agência física;
  • Pausa de até duas prestações de Contratos Habitacionais pelo app Habitação Caixa, incluindo para empresas;

Já para as empresas, a Caixa oferecerá:

  • Redução de juros de até 45% nas linhas de capital de giro, com taxas a partir de 0,57% a.m.;
  • Disponibilização de carência de até 60 dias em operações parceladas de capital de giro e renegociação;
  • Linhas de crédito especiais, com até seis meses de carência, para empresas do setor comercial e de prestação de serviços;
  • Linhas de aquisição de máquinas e equipamentos, com taxas reduzidas e até 60 meses para pagamento;

Por fim, a Caixa anuncia que irá liberar R$3 bilhões para Santas Casas e hospitais participantes do SUS, para auxiliar com dívidas e financiamento de recursos, além da redução de juros e aumento de prazos.

Banco do Brasil

Além disso, o Banco do Brasil também anunciou nesta quarta-feira (18) que iria ampliar linhas de crédito em R$100 bilhões, auxiliando até “13 milhões de clientes” pela efetiva ampliação de seus empréstimos.

Para pessoas físicas, os recursos se aplicarão a linhas de créditos pessoal: consignado, salário e automático.

Já para empresas, o Banco do Brasil oferece R$48 bilhões em recursos disponíveis para capital de giro, de investimento e de antecipação de recebíveis.

Federação Brasileira de Bancos

A FEBRABAN anunciou que seus cinco maiores associados; Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú, Unibanco e Santander, irão todos atender à demanda de prorrogações de créditos e dívidas para pessoas físicas e jurídicas, incluindo microempresas e pequenas empresas.