Após os Estados Unidos e União Europeia anunciarem seus planos trilionários de auxílio econômico, o FMI não ficou atrás.


Veja também: Estados Unidos podem anunciar mais US$1,2 trilhões para combater coronavírus

Coronavírus pode causar US$2,7 trilhões em prejuízos


Nesta terça-feira (17/03), o Fundo Monetário Internacional anunciou que vai emprestar o equivalente a US$1 trilhão para países membros. Contudo, os empréstimos serão em uma moeda chamada de Special Drawing Right (SDR).

De acordo com o CSO da Blockstream, Samson Mow, a SDR seria uma moeda “imaginária” e baseada no “dinheiro impresso” das nações.

Tweet de Samsn Mow

Segundo a página do próprio FMI, inicialmente o SDR era equivalente a 0,888671 gramas de ouro. Entretanto, com a queda do padrão ouro em 1973 a SDR virou uma cesta de moedas.

Atualmente ela é composta de 41,73% de dólar, 30,93% de euro, 10,92% de Yuan, 8,33% de Yen e 8,09% de libra esterlina. A liquidação de SDR pode ser feita no mercado ou por designação do Fundo Monetário Internacional.

“Os membros podem comprar e vender SDRs no mercado. Se necessário, o FMI também pode designar membros para comprar SDRs.” – declara o FMI em seu site

Gráfico com poder de fogo do FMI

Momento do Bitcoin?

Parece que as impressoras governamentais estão a todo vapor. Enquanto a política de quantitative easing dos Bancos Centais vai dando as caras, o Bitcoin continua com sua emissão monetária como prevista.

E esse é dos motivos pelo qual a Forbes anunciou que agora é “A hora do Bitcoin“. Será que realmente a hora das criptomoedas chegou em meio ao caos?

Gráfico Criptomoedas cotação e marketcap das 5 maiores do mercado

Só nas últimas 24 horas o Bitcoin já se valorizou 14%, apesar da alta, nos últimos 7 dias a criptomoeda acumula uma queda de -24,21%, segundo informações do Coingolive.