A Associação de Bitcoin de Hong Kong, uma iniciativa local, começou um projeto de divulgação e conscientização sobre as vantagens e os riscos da utilização do Bitcoin.

A associação tem se mostrado como uma das maiores e mais ativas do mundo e já conta com mais de 5 mil membros. 

O objetivo é principalmente iniciar uma conversa sobre os méritos do Bitcoin, especialmente no contexto dos desafios econômicos em curso. Acho que a beleza disso é que não é um anúncio da empresa, o projeto é focado no próprio bitcoin, como uma tecnologia disruptiva, uma proteção contra a inflação e como um meio de inclusão financeira (# BeYourOwnBank).”, afirmou a Associação de Bitcoin de Hong Kong.

ponto de ônibus seja seu próprio banco

Os cartazes contam com mensagens como:

Mais Dólares foram impressos em 2020 do que toda sua existência até 2009. Sempre vão existir no máximo 21 milhões de Bitcoins.

transação bitcoin

As transações de Bitcoin são irreversíveis.

Em caso de perda não é possível haver resgate.

Aviso: Seus Bitcoins estão sob sua responsabilidade.” 

O Bitcoin como protesto

Hong Kong, um território autogerido e independente da China continental, tem sofrido no último ano com as constantes interferências do repressivo governo chinês sobre sua população. As repressões contra o seu povo causaram revolta e provocaram protestos gigantescos em toda a região. 

O Bitcoin tem sido utilizado como uma forma eficiente e pacífica de protesto contra governos repressivos, pois a criptomoeda tira o poder sobre o dinheiro da mão dos Bancos Centrais e o devolve para os indivíduos.

Por conta dessa característica fascinante, o Bitcoin tem se tornado cada vez mais importante não somente para o mercado especulativo, mas também para os milhões (ou bilhões) de indivíduos insatisfeitos com as ações dos seus governos. 

Leia mais em: Bitcoin: o maior protesto pacífico de todos os tempos