Em outra matéria desta semana, analisamos várias empresas da indústria dos videogames; dentre elas, a Capcom esteve em destaque, valorizando pouco mais de 31,15%. Além disso, o valor bate quase exatamente com a valorização do Bitcoin, a aproximadamente 31,85%. Como isso aconteceu?

2018 também teve um final com base forte para a empresa, considerada a melhor publisher de jogos daquele ano pelo Metacritic, além de bater 11 milhões de vendas de Megaman 11.

Lançamentos bons, relançamentos agradáveis em 2019

Apesar de ter visto uma década dura, a Capcom começou 2019 com o pé direito, com a remasterização do clássico Onimusha, além do lançamento de Resident Evil 2 Remake e Devil May Cry 5 na mesma época.

Os estilosos Caçadores de Demônios voltam em mais uma aventura, cheia de sangue, rock e ação.

Os três tiveram recepção impressionante, com média de 90% em quase todas as plataformas, de acordo com análises do Metacritic. Segundo seu portal de Relações com Investidores:

  • Devil May Cry 5 teve a melhor performance da sua franquia, vendendo 3,5 milhões de cópias desde março de 2019;
  • Resident Evil 2 Remake, por sua vez, vendeu 6,6 milhões de cópias, sagrando-se o quinto jogo mais vendido da história da empresa e passando o RE2 original de PS1 em vendas.

Como resultado, a trilogia Devil May Cry foi portada para o Nintendo Switch, além da maioria dos principais Resident Evil.

Por fim, não podemos esquecer do jogo online Monster Hunter: World, que é considerado o mais vendido da empresa com 15,7 milhões de unidades. Mantido até hoje, recebeu no início de 2020 uma atualização conhecida como Iceborne, elogiada por muitos dos jogadores.

Um ano turbulento

Todas as empresas da economia global foram fortemente afetadas com a pandemia; porém, a Capcom continua forte em suas vendas.

Neste ano, relançaram Street Fighter V: Champion Edition, além da Megaman Zero Legacy Collection, um pacote de jogos antigos da franquia com o protagonista secundário Zero, para PC e Switch.

Devil May Cry 3, o melhor da trilogia original, foi lançado para Nintendo Switch com várias melhorias, enquanto Resident Evil 3 Remake foi lançado para trazer um favorito dos fãs do PS1 para a geração atual.

Mesmo sendo fortemente criticado por cortes de cenas importantes do original, RE3 conseguiu ser outra surpresa: vendeu mais de 2 milhões de cópias em 5 dias de lançamento, mesmo que muitas sejam edições digitais, por conta da pandemia.

Já seu modo multiplayer, Resident Evil REsistance, continua vivo e recebendo atualizações, incluindo personagens conectados ao recém-anunciado Resident Evil VIII: Village (2021), para PS5, Xbox SX e PC.

Ápice da performance financeira

Foram vários sucessos para Capcom em ressuscitar franquias antigas, além de capitalizar em novos recursos como a RE Engine. Criada para o Resident Evil 7, deu suporte e infraestrutura para a criação de RE2, RE3 e DMC5.

Gráfico de performance da Capcom (CCOEY)
Performance da Capcom (CCOEY). Fonte: TradingView

A venda de reimaginações de favoritos dos fãs, em versões polidas e recheadas de conteúdo, trouxeram uma revitalização para a Capcom. A franquia Resident Evil, como um todo, bateu nesse dia 12 um total de 100 milhões de cópias vendidas no total, segundo press release.

Isso a torna, possivelmente, na empresa de videogames com melhor performance nesse ano.

Performance do Bitcoin

Performance do Bitcoin / USD. Fonte: TradingView
Performance do Bitcoin / USD. Fonte: TradingView

Não só o mercado, mas também o Bitcoin viu um ano cheio de surpresas: desde a queda da Segunda-Feira Negra, o halving de 2020 e até mesmo, no Brasil, dumps massivos em exchanges.

Além disso, mais recentemente, relatamos um aumento do preço do bitcoin de quase 5%, no que aparenta ser um lento sinal de recuperação do valor do criptoativo no mercado pós-pandemia.

Desconsiderando as diferenças entre o criptoativo Bitcoin e a empresa Capcom, o crescimento financeiro de ambos se parecem nivelados.

Será que o investimento de uma empresa é melhor, considerando a maior estabilidade financeira? Ou será que o valor de hedge dos criptoativos traz maior destaque aos que querem se proteger de crises financeiras como essa?

Comente em nossa página do Facebook!