A empresa chinesa de administração de ativos Penghua Fund, com mais de US$ 80 bilhões em ativos de clientes, entrou com um pedido de listagem de um fundo negociado em bolsa no país.

A Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China (CSRC), o órgão fiscalizador financeiro do país, está atualmente analisando o pedido da Penghua, de acordo com informações do site da CSRC.

Se aprovado o fundo da Penghua, apelidado de ETF Penghua Shenzhen Stocks Blockchain, a China terá seu primeiro fundo de cripto, de acordo com um relatório da Shanghai Securities News.

Sediada em Shenzhen, a Penghua possui mais de 564 bilhões de yuans (US$ 80,79 bilhões) em ativos administrados e administra 159 fundos públicos, 10 carteiras nacionais de investimento em seguro social e 4 carteiras básicas de investimento em seguro de pensão, de acordo com informações do site.

Na semana passada, a Bolsa de Valores de Shenzhen lançou um Blockchain 50 Index, que é composto pelas 50 principais ações relacionadas a blockchain por capitalização de mercado.

Atualmente, o índice tem empresas de vários setores, incluindo o Ping An Bank e a empresa de internet Wholeasy, que investiram US$ 80 milhões em mineradores de Bitcoin no ano passado.

Em outras partes do mundo, existem pelo menos sete ETFs de blockchain em operação atualmente, incluindo o fundo da Invesco-Elwood listado na Bolsa de Londres.

Continue lendo: ETF do Bitcoin é só uma questão de tempo