A exchange e carteira de bitcoins Coinbase comprou a startup Neutrino que faz análise de blockchain, saiba os motivos para essa aquisição.

A Neutrino anunciou hoje que estava sendo comprada por uma das maiores exchanges do mundo, a Coinbase. A Neutrino pega dados de blockchains públicos para evitar fraudes, investigar hacks e identificar transações suspeitas.

O movimento da corretora se deve a três fatores principais, o primeiro deles foi devido a um erro no compliance da exchange, o segundo é visto como um movimento para ajudá-la a adicionar mais criptomoedas e continuar seguindo estritamente as leis norte-americanas, já o terceiro é a criação de um novo produto.

Vamos destrinchá-los…

No dia 04 de fevereiro nós descobrimos em primeira mão que o Hamas usou repetidas vezes a Coinbase para arrecadar fundos. A exchange não respondeu as nossos questionamentos sobre o caso.

Tal exposição pode ter sido bem negativa para o relacionamento com órgãos de governo norte-americano que estava trabalhando próximo da inteligência israelense para bloquear tais pagamentos.

Nós descobrimos também que as ferramentas de análise atuais não foram suficientes para classificar corretamente os endereços desse grupo terrorista.

O segundo fator se deve a nova estratégia empresarial da Coinbase, ela pretende adicionar mais criptomoedas e tokens à sua plataforma, competindo com players como a Binance.

Mas para adicionar novos tokens e manter um bom nível de compliance seria necessário que as ferramentas do mercado se adaptassem a essas criptomoedas, o que poderia sair mais caro do que comprar uma empresa para desenvolver essa tecnologia.

O terceiro e último ponto é a expansão dos serviços da Coinbase, agora a corretora norte-americana poderá competir por gordos contratos de agências governamentais. O Departamento de Defesa dos Estados Unidos já utilizou serviços da ChainAnalysis (concorrente da Neutrino) e está mostrando interesse em investigar um número maior de criptomoedas.

A jogada da Coinbase foi mais uma vez muito bem feita, tanto na questão de expandir seu portfólio de produtos quanto para se proteger melhor de ameaças externas.

.Imagem de capa mostra o CEO da Coinbase, Brian Armstrong. Fonte – Observer.