Com a crise do coronavírus atingindo os mercados tradicionais, o Bitcoin passou pelo seu teste e também foi negativamente afetado. Durante esse período, mais bitcoins estão entrando nas exchanges, pois os traders estão atrás de comprar e vender em meio a volatilidade.

Mas enquanto a atividade das corretoras podem nos dizer o que os investidores estão fazendo, como será que estão sendo afetadas as pessoas que usam Bitcoin para comprar bens e serviços em vez de especular?

O Chainalysis fez um estudo para analisar o efeito do Covid-19 para o consumidor do Bitcoin, observando como mudaram os padrões de transações em serviços de comerciantes, sites de apostas e mercados negros.

O uso desses serviços diminuiu, mas não como podia se esperar

Valor do Bitcoin enviado para serviços
Valor do Bitcoin enviado para serviços de lojas (em cinza), sites de aposta (em azul) e mercados na darknet (em vermelho).

Acima, vemos que a quantidade de bitcoin enviada para todos os três tipos de serviços caiu significativamente desde 9 de março, coincidindo com o declínio dos preços.

O resultado pode parecer óbvio – afinal, com que frequência os gastos sobem em uma crise econômica? As pessoas que normalmente gastariam suas criptomoedas podem estar poupando ou até vendendo com medo de uma desvalorização maior.

Mas, quando você pesquisar as tendências de longo prazo de cada categoria de serviço, verá que esse não é o comportamento que esperávamos.

Coeficiente de correlação de postos de Spearman: Valores em bitcoin gastos nestes serviços vs preço médio diário do Bitcoin. Em amarelo está o coeficiente de correlação antes da crise do coronavírus (2019 todo), e em laranja, depois da crise do coronavírus (20/02/2020 – 20/03/2020)

O gráfico acima mostra quão fortemente o preço médio diário do Bitcoin está correlacionado com a atividade diária de recebimento de Bitcoin pelos serviços analisados – ou seja, a quantidade de clientes bitcoiners que usam esses tipos de serviço em um determinado dia – antes e depois do Covid-19 alcançar a América do Norte.

Em outras palavras, uma correlação positiva quer dizer que o serviço recebe mais Bitcoin dos clientes à medida que o preço do Bitcoin aumenta e menos à medida que o preço diminui, enquanto uma correlação negativa significa que o serviço recebe menos Bitcoin à medida que o preço aumenta e mais quando o preço diminui.

Analisando então os resultados, percebemos que para os mercados darknet, a receita tornou-se mais correlacionada com o preço do Bitcoin, o que significa que os mercados negros online sofreram quedas na receita desde que o preço do Bitcoin começou a cair.

Isso é especialmente interessante, considerando que a receita dos mercados darknet anteriormente tinham uma correlação inversa pequena, mas significativa, com o preço do Bitcoin.

Por outro lado, os serviços comuns e os provedores de jogos de azar viram a correlação da receita com os preços do Bitcoin diminuírem, o que significa que se mostraram resistentes e tiveram menos queda de receita do que o esperado.

Os serviços comerciais foram surpreendentemente resilientes

Valor em Bitcoin enviado para comerciantes e o preço do Bitcoin em dólares

Os fornecedores de serviços comerciais permitem que empresas convencionais como Starbucks e Amazon aceitem bitcoin de clientes que fazem compras.

Sua atividade de recebimento de Bitcoin é geralmente bem correlacionada com o preço do Bitcoin, o que faz sentido: os detentores de Bitcoin se sentem mais ricos quando o preço sobe e podem gastar realizando lucros.

No blockchain, só podemos ver fundos sendo transferidos para os próprios prestadores de serviços comerciais, em vez de para as empresas específicas em nome de quem eles estão aceitando fundos, portanto, não podemos saber quais serviços tiveram mais ou menos vendas depois da crise.

No entanto, embora a compra de serviços comerciais tenha caído, ela não caiu tanto quanto esperávamos anteriormente, pois a correlação entre a atividade de serviços comerciais e o preço do Bitcoin caiu quase pela metade.

Por que isso aconteceu?

Só podemos especular por que a atividade de serviços comerciais não caiu tanto quanto esperávamos. Um motivo pode ser que os usuários de criptomoedas estão comprando itens essenciais por meio desses serviços.

A necessidade de serviços comerciais poderia ser aumentada pelo fechamento de empresas locais em áreas especialmente atingidas pelo Covid-19.

Serviços, como hospedagem na web, que tendem a ter planos de pagamento recorrentes, também estão amplamente disponíveis aceitando bitcoin – os gastos com esses serviços de contratos pré-existentes também podem estar mantendo a categoria como um todo.

Queda na receita de jogos parece não ter relação com a queda do preço

Valor em Bitcoin enviado para serviços de jogos de azar e o preço do Bitcoin em dólares

Você pode pensar que a quarentena seria benéfica para os serviços de jogos baseados em criptomoedas. Afinal, os usuários comuns não jogariam mais se estivessem trancados em casa o dia todo?

Até agora, esse não parece ser o caso. Os fluxos de Bitcoin para serviços de jogos caíram desde a segunda semana de março, assim como os outros serviços analisados.

No entanto, o momento dessas quedas não sugere uma correlação entre a atividade de jogo e o preço do Bitcoin. O uso do jogo não começou a cair até algum tempo após a queda do preço do Bitcoin e continuou a cair mesmo quando o preço do Bitcoin começou a se recuperar.

Esta tendência não é nova. A receita dos serviços de jogos de azar sempre teve uma correlação extremamente fraca e praticamente inexistente com o preço do Bitcoin.

Talvez seja porque a maioria das pessoas não aborda o jogo de maneira racional ou com expectativa de lucro, mas como uma forma de se divertir.

Pesquisas sobre jogos de azar sugerem que isso também é verdade para jogos que não são de criptomoeda. Um estudo encontrou dificuldade em prever como a atividade de jogos muda durante recessões econômicas, pois enquanto algumas pessoas jogam menos para economizar, outras acham que o cassino pode salvá-las do aperto.

Até agora, na pandemia de Covid-19, a falta de correlação da atividade de jogo com o preço do Bitcoin tem se mantido forte, diferenciando o jogo dos serviços comerciais e, como examinaremos a seguir, os mercados darknet.

Darknet reagindo ao preço do Bitcoin como nunca antes

Valor em Bitcoin enviado para mercados da darknet e o preço do Bitcoin em dólares

Historicamente, a receita dos mercados da darknet tem uma fraca correlação inversa com o preço do Bitcoin.

Como observamos no passado, a atividade do mercado dark é muito menos afetada pelas altas e baixas do mercado do que outros tipos de serviços, sugerindo que os clientes estão dispostos a gastar com drogas (e, em menor grau, com outras ações ilícitas), independentemente da cotação do Bitcoin.

No entanto, a correlação agora reverteu e a receita de mercados na darknet caiu muito mais do que esperávamos após a recente queda de preço recente do bitcoin.

Talvez os clientes não estejam comprando tantas drogas devido à crise de saúde pública. Também é possível que os fornecedores tenham diminuído as vendas durante a queda de preço, com medo de que o Bitcoin que eles aceitem possa valer menos no dia seguinte.

Mas é provável que o próprio Covid-19 esteja dificultando a venda de drogas ilícitas no momento.

Relatórios recentes apontam que os cartéis de drogas mexicanos têm mais dificuldade em obter fentanil, já que a província chinesa de Hubei – um centro do comércio global de fentanil – foi duramente atingido pelo vírus.

Tais interrupções nas cadeias de suprimentos globais podem estar prejudicando a capacidade dos fornecedores do mercado darknet de fazer negócios.

gŕafico valores enviados das exchanges chineses para os mercados negros
Valores em dólar de bitcoins enviados de corretoras chinesas para mercados negros na internet, de janeiro de 2019 à março de 2020.

De fato, à medida que a China se recupera do surto de coronavírus, suas compras no mercado de darknet parecem estar recuperando também.

Ainda assim, resta saber se a nova sensibilidade ao preço do Bitcoin nos mercados da darknet será um ponto fora da curva ou uma nova tendência daqui para frente.

Um evento único

As mudanças drásticas nos padrões de uso para diferentes tipos de empresas de criptomoedas deixam claro que essa não foi uma queda comum. É um evento diferente, causado por uma crise de saúde pública sem precedentes.

A questão para os negócios de criptomoeda é se eles poderão ou não retornar aos seus níveis de transação anteriores e se os padrões de uso de seus clientes voltarão ao normal à medida que o Bitcoin e a própria economia se recuperarem.

Para acompanhar mais estudos relacionados à criptoeconomia, continue acompanhando o Cointimes no Facebook e no Telegram!


Veja nossa jornada para comprar no Outback com a carteira de bitcoin brasileira Bitfy: