A Kraken, uma das corretoras de bitcoin mais tradicionais do mundo, recebeu a aprovação do estado do Wyoming para se tornar a primeira corretora de cripto a se tornar um banco nos Estados Unidos.

“Desde o pagamento de contas e recebimento de salários em criptomoedas até a incorporação de ativos digitais em carteiras de investimento e negociação, a Kraken Financial permitirá que os clientes da Kraken nos EUA façam transações bancárias sem problemas entre ativos digitais e moedas nacionais.”

disse a Kraken em comunicado em seu blog oficial.

A Kraken aplicou para se tornar uma “Instituição Depositária de Propósito Especial”, uma legislação criada em outubro de 2019 para ajudar instituições focadas em ativos digitais, tokens e ativos mobiliários digitalizadas.  Ela permite que essas instituições criem um caminho entre o sistema financeiro tradicional e o digital, com praticamente todas as funções de um banco comum.

Mas diferente dos bancos tradicionais, o Kraken Bank precisa ter 100% das reservas de depósitos fiat, assim,  dando mais confiança aos usuários e estabilidade ao sistema financeiro. Com isso, os usuários da Kraken ganharão uma série de novos serviços, explica a empresa:

“Durante seu primeiro ano de operações, a SPDI planeja dar aos clientes a capacidade de depositar dólares americanos e custodiar ativos digitais em um banco regulamentado estatal. Esses serviços bancários serão perfeitamente integrados aos serviços de câmbio existentes, proporcionando aos clientes melhor infraestrutura de financiamento, melhor experiência e maior clareza regulatória.”

comentou a empresa.

Diferente do que acontece com a legislação proibitiva do estado de Nova York, Wyoming tem se mostrado aberto a inovações e como resultado receberá investimentos da Kraken que abrirá uma presença física permanente na cidade de Cheyenne. 

“Estamos entusiasmados por trabalhar em um estado tão alinhado com nossa filosofia e valores. Wyoming é um exemplo raro e brilhante de como uma regulamentação cuidadosa pode impulsionar a inovação para as empresas FinTech. ”

afirmou a corretora em comunicado oficial.

Bancos contra corretoras de Bitcoin

A ideia de ter corretoras de bitcoin oferecendo serviços bancários não é nova. A Litecoin Foundation comprou participação em um banco alemão em 2018 e na Suíça muitos bancos já fazem integração com a criptoeconomia como o Bitwala.

Além de oferecer serviços relacionados aos criptoativos, as corretoras se livram dos diversos obstáculos impostos pelos bancos para diminuir a adoção do bitcoin como mostramos no texto: “Santander diz que Bitcoin é usado em lavagem de dinheiro, mas é acusado de ajudar a lavar bilhões