Com a crescente expansão da união entre a indústria dos games e a criptoeconomia, vemos cada vez mais jogos que estão aplicando moedas como as bitcoins e o Ethereum em seus sistemas gerais; alguns tem seu game design quase que completamente dedicado à microtransações realizadas com essas moedas. Hoje, veremos um caso muito interessante: o jogo Decentraland.

Um mundo virtual, com pilares etéreos

Caso você ainda não conheça o projeto, Decentraland é um mundo virtual 3D criado para a exploração e construção, além de diversão e socialização dos jogadores.

Ele vai ficar disponível lá pro dia 19, e está sendo construído por jogadores que tiveram acesso antecipado comprando terrenos (LANDs).

ATLAS: Mapa de Descentraland é enorme e já vendeu vários terrenos pelo Decentraland Marketplace

O sistema de venda de terrenos é baseado em uma exchange descentralizada que roda na blockchain de Ethereum, o Decentraland Marketplace. Já foram realizadas mais de US$600.000 em vendas só nessa semana.

Dois jogadores customizando uma árvore. Fonte: Decentraland

Decentraland funciona de forma bem similar a um servidor “criativo” de Minecraft: você possui acesso ilimitado a todos os recursos do jogo, e fica disponível para criar o que quiser, da forma que quiser.

Controlado por Jogadores

Assim como foi dito ali em cima, o mundo de Decentraland é totalmente criado por seus jogadores, que são responsáveis por produzir o mundo de forma criativa em seus LANDs, pedaços do terreno maior do jogo.

O jogo também recompensa seus usuários mais criativos com MANA, um token especial baseado na blockchain que funciona como um dinheiro interno do próprio game para customizar seu personagem ainda mais.

Jogadores poderão acumular MANAs para comprar itens na loja online. Fonte: Decentraland

O sistema de criação de mundos que Decentraland usa aparenta ser bem similar a como o editor de mapas da Unreal Engine 4 funciona; ademais, promete estar disponível para “PCs, Mobiles e Headsets de Realidade Virtual (VR)”.

Games e Criptoeconomia se fundindo lentamente

Em outubro, um plugin para a Unreal Engine integrava a utilização de Nano Tokens em seus jogos. Sem nenhuma taxa, Nano acaba viabilizando mais ainda as microtransações; algo que comentamos com detalhes falando sobre a Nintendo e seu mais novo Animal Crossing: New Horizons.

Quanto mais vemos as duas culturas se fundindo, mais veremos desafios de todos os ângulos possíveis, mesmo com as infinitas possibilidades de inovação na indústria. Como vocês acham que isso irá continuar? Comente lá em nosso grupo do face!