Cointimes

ADs

Diante de perda de 95% no valor da moeda, libaneses investem em Bitcoin

Banco do Líbano e um Anonymous
  • A crise monetária no Líbano tem gerado hiperinflação e confisco de dinheiro pelos bancos. 
  • Para sobreviver, cidadãos libaneses precisam minerar bitcoin ou comprá-lo para guardar valor.

Em 2019, o Líbano entrou em uma crise financeira devido a péssimas decisões políticas e monetárias. O país que era o centro bancário do Oriente Médio, virou exemplo perfeito de caso de uso do Bitcoin e outras criptomoedas. 

A fé no sistema bancário-estatal acabou 

Segundo o Banco Mundial, a crise no Líbano é uma das piores do mundo desde 1850. Cerca de 78% da população vive abaixo da linha da pobreza, enquanto bancos e o governo tentam explorar a população com aumento de tarifas e impostos. 

Como resultado, a Lira Libanesa perdeu 95% do seu valor, o sistema bancário entrou em colapso e alguns bancos confiscaram até 85% do dinheiro da população. 

A população se revoltou, saiu às ruas, queimou bancos. O governo respondeu com mais sanções, bloqueando até mesmo aplicativos de cotação para que a cotação oficial do dólar para a lira libanesa fosse seguida à força. 

Para comprar pão, a população precisa de sacolas de dinheiro. A inflação prevista para 2023 no país é de 178%, maior que a venezuelana. 

Um dos arrependimentos da minha vida foi não sacar todo o meu dinheiro antes da crise”, afirmou o estudante universitário El Chamaa, para a CNBC

Os bancos libaneses perderam entre US$65 bi e US$70 bilhões, o equivalente a quatro vezes o PIB do país. O governo deu autorização para que os banqueiros roubassem o dinheiro da população para tentar estabilizar o sistema financeiro, o chamado bail-in.

Leia também: Bancos confiscam dinheiro, fecham e são queimados no Líbano

Líbano: População aposta em BTC e criptomoedas

Com contas bancárias congeladas, compra de dólares extremamente regulamentada e altas taxas para receber e enviar dinheiro para o exterior, a única saída foi o bitcoin e as criptomoedas. 

Capaz de contornar sanções, a tecnologia criada por Satoshi Nakamoto começou a circular como grande opção às restrições de capital e uma maneira fácil de guardar valor.

O gestor de marketing, Marcel Younes, contou à CNBC que colocou 70% do seu dinheiro em bitcoin. E não foi só ele,  uma pesquisa da ChainAlysis, mostrou um aumento de 120% no uso de criptoativos. 

Mesmo sendo proibido o uso de criptoativos como meio de pagamento, diversos negócios mostram a opção nas redes sociais: 

“Se você tivesse seu dinheiro no banco no Líbano, já era. Quem sabe quanto disso você verá novamente. Enquanto isso, o bitcoin sobe e desce no mercado global, mas se você tem autocustódia do seu bitcoin, você sempre o terá como um ativo, podendo usá-lo como quiser e enviá-lo para qualquer lugar do mundo.”, afirmou o diretor de estratégia da Humans Rights Foundation.

Leia outros conteúdos...

© 2023 All Rights Reserved.

😲 Você sabia que pode estar PERDENDO dinheiro enquanto lê notícias? 📰

🔥 Baixe nosso app AGORA e GANHE Bitcoin enquanto se informa! 🔥

⏰ A cada segundo que passa, é Bitcoin que você deixa de ganhar! ⏰

Cover

Ganhe Bitcoin assistindo Youtube, navegando na internet ou fazendo compras!