Breaking News  
Em defesa da especulação Economia

Em defesa da especulação

Entenda a importância do especulador nos mercados e na economia

Lucas Bassotto
Lucas Bassotto

Os mecanismos de preço

oferta e demanda especulação
Fonte: Juros Baixos

O gráfico acima ajuda a explicar a formação de preços no mercado, que é relação entre a oferta e a demanda. O preço, por sua vez, é um indicador de escassez essencial na alocação de recursos de qualquer economia. Quanto maior for o preço de 1kg de café, menos pessoas irão comprá-lo. Talvez passarão a tomar mais chá ou algum outro substituto do café. Se o preço do café está alto, os produtores de café enxergam uma excelente oportunidade de lucro. Desta forma, eles aumentam sua produção de café, por conta disso, a oferta de café disponível aumenta. Como há mais café no mercado, ele se torna menos escasso e o seu preço tenderá a diminuir até chegar no ponto de equilíbrio, onde que todo 1kg de café produzido é imediatamente consumido no mercado.

No entanto, o homem está sujeito a mais variáveis no mundo real. Quando olhamos para fora dos manuais de economia, percebemos que não há apenas preço e quantidade. Há uma série de fatores e eventos que podem influenciar o preço de um bem: possibilidade de haver guerras, crises econômicas e políticas, desastres meteorológicos, surgimento de novas tecnologias que podem substituir meios tecnológicos atuais, e muitos outros eventos que estão longe do alcance de uma pessoa comum. Compradores e vendedores, tentam através do mercado, adivinhar qual será o preço correto no futuro. Eles observam os sinais que são transmitidos através do sistema econômico. Portanto, o mercado tende ao equilíbrio sem jamais alcançá-lo de fato, uma situação que chamamos de cataláxia.

Especuladores e a função da especulação

O especulador é um apostador movido por interesses pessoais e egoístas. O seu lema é comprar na baixa e vender na alta, ou seja, ele apenas visa o lucro apostando em eventos futuros que irão afetar o preço de um ativo. Ele compra hoje esperando que o preço suba no futuro para que ele possa vender, realizando o seu lucro. Olhando por este lado, parece que o especulador pouco contribui para a sociedade. A verdade é que ele tem um papel indispensável na alocação de recursos, como será explicado ao longo deste texto.

E qual é o propósito de tentar adivinhar preços futuros? A batalha entre compradores e vendedores tem a principal função de alocar recursos escassos. Por exemplo, imagine um apostador acreditando em um problema na produção de milho, ele comprará contratos futuros apostando na alta do milho. Diante de tantas pessoas especulando, o preço do milho sobe de $10 para $15. Com a alta, algumas pessoas que compraram antes irão vender seus papéis. Logo, uma força vendedora puxa o preço para $13 ao invés de $15. Agora suponha que houve um grande problema nas safras de milho. De repente não se encontra mais milho no mercado, o seu preço disparou para $20, o que acontece agora?

Melhor alocação

Graças ao comprador que apostou na alta do preço do milho, agora há mais milho no futuro. O especulador é movido apenas pelo lucro, desta forma, o comprador do passado agora se torna vendedor e passa a vender milho no mercado para realizar o seu lucro. Como há uma força vendedora, os preços irão diminuir de $20 para $17. Na verdade, a especulação fez o preço do milho variar apenas de $10 para $17. O que seria diferente se as pessoas simplesmente consumissem milho sem pensar no amanhã. Sem a especulação, o aumento do preço do milho seria muito maior e certamente mais pessoas ficariam sem milho no futuro. Desta forma, a especulação garantiu que as pessoas pudessem comprar milho mais barato no futuro. 

Segundo Adam Smith:

“Em geral, ele (o especulador) não pretende promover o interesse público, nem sabe o quanto o está promovendo. O que ele pretende é apenas a sua própria segurança, seu próprio ganho. É levado, como que por uma mão invisível, a promover um fim que não fazia parte de sua intenção. Ao perseguir seu próprio interesse, não raro promove o interesse da sociedade de forma mais eficaz do que quando realmente tem a intenção de promovê-lo.”

O especulador bem-sucedido, portanto, agindo em seu próprio interesse egoísta, não sabendo nem se importando com o bem público, promove-o. Além disso, ele assume todos os riscos de uma especulação. Aquele produtor de milho tem o seu risco tomado pelo especulador, que está comprando seu milho para especular, desta forma, o produtor pode se preocupar apenas em produzir com mais eficiência.

E se os especuladores errarem?

Nenhum ser humano é capaz de prever o futuro corretamente e acertar todas as suas previsões, afinal de contas, o homem não é perfeito. Ele sempre será refém de seus erros e suas limitações metafísicas. Se o especulador estiver errado, ele será responsável por um grande dano. Mas há forças poderosas em ação que tendem a eliminar os especuladores incompetentes. O especulador que faz conjecturas erradas sofre prejuízos financeiros graves. Comprar na alta e vender na baixa pode desorientar a economia, mas certamente é devastador para os recursos financeiros do especulador.

Se o especulador erra com mais frequência do que acerta, uma hora ele perderá todo o seu capital. Assim, ele não irá permanecer tanto tempo no mercado se continuar errando sempre em suas previsões. O mercado irá substituir os especuladores ruins por especuladores bons em suas previsões ao longo do tempo, fazendo com que apenas os melhores agentes fiquem no mercado e interpretem os sinais com mais precisão, transmitindo o preço correto para o mercado. Assim, a qualquer dado tempo, é provável que os especuladores existentes sejam de fato muito eficientes, portanto, benéficos para a economia.

Malefícios de intervenções

Além disso, a intervenção governamental no mercado faz com que sejam transmitidos sinais errados sobre o mercado. Suponha que o Governo Brasileiro baixe a taxa de juros para a aquisição de imóveis. Além disso, ele oferece crédito para que maus pagadores possam comprar imóveis. Muitas pessoas passarão a comprar mais casas apostando na alta, o preço dos imóveis brasileiros irá disparar. Os maus pagadores irão se endividar para adquirir imóveis para vendê-los mais tarde a um preço mais elevado. O setor de construção civil será impulsionado e muitos empregos serão criados para suprir aquela demanda artificial.

No entanto, quando o preço dispara, aqueles que lucraram irão correr ao mercado para realizar seu lucro. Isso faz com que o preço dos imóveis caia, os investidores entram em pânico e começam a despejar imóveis no mercado. Agora há muitos imóveis no mercado, ou seja, eles ficam mais baratos. Chega um momento em que o governo não consegue mais manter os juros baixos artificialmente. Aqueles que estão endividados se mostram incapazes de pagar seus débitos, os bancos passam a sofrer calote. Desta forma, eles ficam com um passivo gigantesco, muitos bancos acabam declarando insolvência, e o mercado financeiro entra em colapso.

Para quem não sabe, o exemplo ilustrado acima aconteceu no ano de 2008, um evento que ficou conhecido como a crise do subprime (saiba mais aqui). O governo, talvez dotado de boas intenções, passou a interferir diretamente no mercado de imóveis e induziu muitos especuladores ao erro, resultando em uma das maiores crises mundiais de todos os tempos. No entanto, no auge da crise mundial, Satoshi Nakamoto divulga o Whitepaper de um Sistema de Dinheiro Eletrônico Ponto-a-Ponto, conhecido também como Bitcoin.

Especuladores dão liquidez e estancam a sangria

especulação queda
Fonte: Bitcoinity

Observe o gráfico acima, é um Market Depht Chart, traduzindo fica como: Gráfico de Profundidade de Mercado. Ele diz o quanto os compradores e vendedores estão dispostos a negociar de acordo com o preço. Pelo gráfico pode-se observar que há uma grande força compradora caso o Bitcoin chegue ao preço de $7000. Também há uma força vendedora, em menor escala, caso o Bitcoin chegue a $8000. Ou seja, o preço funciona como um mecanismo indicador de escassez, ele indica como os recursos devem ser alocados ao longo do tempo.

O Bitcoin é um ativo que tem a confiança de muitas pessoas, que seguram as suas moedas e aproveitam a baixa para comprar mais. Estes especuladores são conhecidos como os Holders, que estão sempre esperando uma baixa para comprar mais Bitcoins. Os Holders são também especuladores bearish, que esperam a baixa do mercado. Eles são corajosos o suficiente para comprar Bitcoin na baixa esperando que o seu preço suba, eles aproveitam a liquidação. Os holders ajudam a parar a sangria e oferecem liquidez ao mercado. Desta forma, os vendedores conseguem se desfazer de seus ativos facilmente, pois sempre haverá pessoas dispostas a comprar.

Correções são necessárias

Correções após uma grande alta são importantes para que o mercado retorne à sua racionalidade. É importante que o especulador compreenda que um ativo jamais subirá de preço de forma linear e constante. Porque muitos especuladores irão vender grande parte de seus ativos para realizar o lucro. Além disso, haverá aqueles que irão se aproveitar da irracionalidade vigente na alta para fazer a prática de FUD (Medo, incerteza e dúvida), provocando uma queda proposital no preço.

As correções servem para evitar a formação de bolhas. Elas também funcionam como o freio para um evitar prejuízo muito maior. É verdade que especuladores podem obter ganhos de curto prazo ao participar de um boom insustentável, mas também é verdade que, se eles não saírem a tempo, o mercado irá puni-los com enormes prejuízos. E suas perdas, vale ressaltar, serão proporcionais ao quão “artificial” era o preço da ação durante a bolha.

Viva os especuladores

O propósito deste texto foi fazer com que as pessoas entendam o papel de especulador, ajudando a desmistificar a imagem criada dele. Que é aquela imagem do parasita e do inútil que serve apenas para causar crises e destruir sistemas econômicos. A verdade é que o especulador é importantíssimo para a economia, pois ele acaba oferecendo liquidez, ajuda a diminuir a volatilidade de preços e aloca recursos no mercado de forma eficiente, tudo isso em função de um objetivo egoísta desprezado e demonizado por muitas pessoas, o lucro.

Lucas Bassotto
Lucas Bassotto

Economista em formação, escritor por vocação. Gosto de fazer investimentos, penso a longo prazo, mas não abro mão de fazer alguns trades. Trabalhei como Community Manager por 1 ano, representando a Foxbit e estou no mercado de criptomoedas desde 2016, mais especialmente no Bitcoin.

O Cointimes utiliza cookies com o objetivo de melhorar sua experiência em nossa página web e adaptar o conteúdo para torná-lo mais útil e acessível. Para mais informações, consulte a nossa política de cookies.