Passfolio

O FBI de Nova Iorque, juntamente com a Procuradoria dos Estados Unidos no Distrito Sul de Nova Iorque e o Escritório de Investigação Criminal da Receita Federal de Newark, colocaram Ruja Ignatova – conhecida como “Cryptoqueen” ou “Rainha Cripto” – para a lista dos “Dez Fugitivos Mais Procurados do FBI”.

Ignatova é suspeita de defraudar investidores em bilhões de dólares. Conforme noticiamos anteriormente, ela foi co-fundadora da OneCoin, que saiu do ar quando o irmão de Ruja, Konstantin Ignatov, foi preso há 3 anos.

A OneCoin era uma pirâmide financeira disfarçada de criptomoeda, parecida com a Kriptacoin do Brasil, mas que tomou proporções muito maiores. Alguns dos promotores desse golpe foram encontrados mortos, enquanto outros foram multados ou presos, mas a Cryptoqueen nunca foi encontrada. Por isso, o FBI está oferecendo uma recompensa de até US $100.000 por informações que levem à sua prisão.

Um grande júri federal indiciou Ignatova, e o Tribunal Distrital dos Estados Unidos, Distrito Sul de Nova Iorque, emitiu um mandado de prisão em outubro de 2017. Em fevereiro de 2018, foi emitida uma acusação substitutiva imputando a Ignatova inúmeras acusações relacionadas a fraude e lavagem de dinheiro.

A OneCoin Ltd. foi uma empresa sediada na Bulgária que prometia lucros exorbitantes e “matar” o Bitcoin com a sua suposta criptomoeda.

“A fim de executar o esquema, a Ignatova alegadamente fez declarações e representações falsas a indivíduos a fim de solicitar investimentos na OneCoin. Ela supostamente instruiu as vítimas a transferir fundos de investimento para as contas OneCoin a fim de comprar pacotes OneCoin, fazendo com que as vítimas enviassem transferências eletrônicas representando esses investimentos. Ao longo do esquema, acredita-se que OneCoin defraudou as vítimas em mais de US $4 bilhões. Ignatova serviu como líder máxima da OneCoin até outubro de 2017.”, disse o FBI em nota.

O Departamento Federal de Investigação acredita que a Rainha Cripto viajou de Sofia, Bulgária, para Atenas, Grécia, em 25 de outubro de 2017, além de ter viajado para outros lugares depois disso. Desde então sua localização tem sido desconhecida, mas também acredita-se que ela tenha viajado para os Emirados Árabes Unidos, Bulgária, Alemanha, Rússia, Grécia e/ou Europa Oriental com passaporte alemão.

Para a recompensa de 100 mil dólares, o FBI pede informações sobre o paradeiro da Rainha Cripto em um relatório on-line no site tips.fbi.gov ou por ligação.

Leia mais:

Passfolio