Na noite de segunda-feira (30), com Mandado Coletivo de Injunção, o grupo do Fiesp e do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) ingressaram junto ao Tribunal de Justiça de SP para solicitar uma suspensão de tributos por 180 dias.

A quarentena, que se iniciou em 24 de março, irá durar até o dia 6 de abril; além disso, Doria deverá anunciar se haverá prorrogação no dia 7, persistindo a mesma por mais semanas.

Em suposto áudio vazado, postado pelo Jornal da Cidade Online, um grupo de empresários do Rio Grande do Sul também manifestam suas insatisfações.

“Em 60 dias, não tem dinheiro pra Justiça, não tem dinheiro pra político, não tem dinheiro pra nada.”

Fiesp, Tribunal de Justiça de SP

O pedido vale para o ICMS relativo aos fatos geradores de março, abril, maio e junho de 2020, incluindo-se o ICMS por substituição tributária, os débitos de ICMS do Simples Nacional e os parcelamentos estaduais.

“As empresas estão sofrendo de forma dramática a redução drástica da atividade econômica”, diz o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf. “Portanto, é fundamental a postergação do recolhimento de impostos neste momento de dificuldades.

Desta forma, as empresas podem concentrar todo o seu esforço na tentativa de manter o pagamento de salários dos funcionários e evitar demissões.”

Nota da Fiesp