Passfolio

Quando Lívia Elektra recebeu o convite de expor suas NFTs em 20 aeroportos, em sete países, ela não acreditou que era verdade. Seus trabalhos ainda não faziam parte de uma coleção, eram os chamados 1/1, peças únicas.

A artista sonhava ter uma de suas fotos exibida em um outdoor na Melrose Avenue,  a avenida mais famosa de Los Angeles, e conseguiu. Foi um sonho realizado.  

Além da parte financeira, ela recebeu alguns convites incríveis para expor o seu trabalho fotográfico pelo mundo.

”Fui selecionada para exibir meu trabalho em mais de 20 aeroportos pelo mundo ao lado de apenas 22 artistas em países como França, Japão, Sérvia, República Dominicana, Portugal, Costa Rica e Brasil. Também tive o meu trabalho selecionado pelo presidente da revista TIME, para uma exibição que aconteceu em Liverpool e agora no dia 20 de Junho um dos meus trabalhos será exibido em um telão na Times Square em New York. Nunca sonhei que ia viver tudo isso em tão pouco tempo, muitas oportunidades apareceram na minha vida”, conta Elektra.

“A linha da escassez e a primeira DAO feminina”

Lívia conta que os seus NFTs seguem a linha da escassez:

Passfolio

“Coloco menos fotografias para vender, porém com os valores mais altos”.

Lívia é fotógrafa, cantora, compositora e roteirista, reúne vários prêmios musicais e turnês ao lado de nomes como Paramore, Charlie Brown Jr. e Skank. Atual vocalista da banda VENVS, foi eleita uma das 100 pessoas da música mais influentes do Brasil no Twitter. 

Como fotógrafa, integrou a plataforma SuperRare e foi considerada pela NFTPhotographers uma das melhores fotógrafas do mundo, sendo atualmente a principal fotógrafa brasileira em destaque na comunidade NFT. 

Atualmente faz parte da primeira DAO feminina do Brasil a EVE que tem o objetivo ampliar a participação feminina em todas as pontas deste novo mercado digital, seja como criadoras e produtoras, seja como consumidoras e investidoras em obras NFT. No projeto, Lívia conta com a companhia de Ana Laura Magalhães, Cintia Ferreira, Kim Farrell, Nina Silva, Nubia Mota, Paula Lima, Roberta Antunes, Simone Sancho e Samara Costa.

“Me encontrei nos NFTs”

Lívia começou com os NFTs em fevereiro do ano passado, ela já vinha investindo em criptomoedas desde o ano de 2020. Em Novembro de 2020, perdeu o pai e acabou entrando em uma depressão pesada.

“Foi bem difícil lidar com essa perda, eu e ele éramos muito próximos. Eu entrei em um estado extremamente introspectivo e a fotografia me ajudou muito a lidar com isso, foquei em estudar mais e foi quando eu li sobre NFT, como era uma coisa que eu conseguia fazer sozinha, da minha casa, eu entrei de cabeça nos estudos para entender essa tecnologia”, conta.

Após subir a primeira foto nunca mais parou, faz arte há mais de 19 anos e o NFT trouxe uma liberdade de criação que desconhecia.

“Eu estava ali fazendo o que eu realmente amo, do jeito que eu amo, sem depender de cliente ou qualquer coisa que seja e vendo o meu trabalho ser reconhecido e devidamente remunerado por isso”, desabafa.

Os trabalhos que foram exibidos nas 20 exposições já tinham sido vendidos antes de serem exibidos, então na exposição em si não tiveram leilões.

“Com os valores que ganho nas vendas, estou conseguindo ajudar a minha família, investindo no meu trabalho, estudo e estou guardando uma parte. As minhas fotografias hoje variam entre 3 ETH a 10 ETH”, conta.

“Este mercado está forte, vou investir nele”

Os seus planos seguem sendo investir em cripto, no seu trabalho e em NFTs de outros artistas em que acredita.

“Esse mercado está muito forte fora do Brasil as pessoas precisam ter conhecimento do que estão fazendo e investir de forma segura”, finaliza Lívia.

Leia mais:

https://cointimes.com.br/onca-crypto-o-nfts-em-prol-das-oncas-pintadas-brasileiras/

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br