Gerald Cotten, o canadense responsável pela exchange de criptomoedas Quadriga CX, apresentou um testamento 12 dias antes de sua morte, listando ativos substanciais, de acordo com documentos judiciais.

gerald cotten fundador da quadriga cx
Gerald Cotten morreu na Índia em Dezembro

Cotten, cuja morte súbita deixou US$ 145 milhões em Bitcoin e outros ativos digitais inacessíveis protegidos por suas senhas, assinou um testamento em 27 de novembro de 2018.

Ele deixou todos os seus bens para sua esposa, Jennifer Robertson, e fez dela a herdeira de suas propriedades, conforme mostram os documentos.

Operações da Quadriga CX suspensas por 30 dias

O juiz da Suprema Corte da Nova Escócia, Michael Wood, concedeu à Quadriga CX uma suspensão de 30 dias na terça-feira, em uma tentativa de impedir que quaisquer ações judiciais contra a empresa sejam processadas neste momento, informou a Canadian Press.

Ou seja, a QuadrigaCX ganhou tempo para recuperar os saldos dos seus clientes.

A bolsa, lançada em dezembro de 2013, permitiu que os usuários depositassem dinheiro ou criptomoeda por meio de sua plataforma de negociação on-line.

A empresa tinha 363.000 usuários registrados, dos quais 92.000 têm saldos em conta, sendo eles em dinheiro ou criptomoedas, de acordo com os registros judiciais. Cotten era o único diretor.

Cotten morreu em 9 de dezembro de complicações devido à doença de Crohn em Jaipur, na Índia, de acordo com o depoimento de Robertson e uma declaração de morte apresentado na Casa Funeral em Halifax, datada de 12 de dezembro.

Ele tinha 30 anos. O casal, que morava no subúrbio de Halifax, em Fall River, Nova Escócia, não tinha filhos.

O fundador da exchange descreve vários ativos que ele possuía, incluindo várias propriedades na Nova Escócia e em Kelowna, na Colúmbia Britânica, um Lexus 2017, um avião, um iate Jeanneau 51 e seus chihuahuas, Nitro e Gully.

Ele também deixou seus pontos de fidelidade e pontos de recompensa para Robertson. Ele mantinha contas no Bank of Montreal e no Canadian Tire.

Dispositivos usados por Cotten eram criptografados

A empresa não pôde recuperar cerca de 190 milhões de dólares em Bitcoin, Litecoin, Ether e outros tokens digitais mantidos por seus clientes, nem a Quadriga CX, de Vancouver, pagar os 70 milhões de dólares em dinheiro que esses clientes devem.

Cotten estava sempre consciente da segurança – o laptop, os endereços de e-mail e o sistema de mensagens que ele usava para administrar a empresa foram criptografados.

Ele assumiu a responsabilidade exclusiva pelo manuseio de fundos e moedas e pelo lado bancário e contábil do negócio e, para evitar ser hackeado, transferiu a “maioria” das moedas digitais para o que é conhecido como uma carteira de armazenamento a frio, que é desconectada da internet.

O problema é que Robertson disse que não consegue encontrar suas senhas ou registros de negócios para a empresa.

Especialistas trazidos para tentar invadir outros computadores e telefones celulares de Cotten se depararam com apenas com uma mensagem de “sucesso limitado” e tentativas de contornar uma chave USB criptografada foram frustradas, disse ela na declaração judicial.

Informação da Bloomberg.

Leia também:

Se você tiver uma opinião ou gostaria de discutir o assunto, deixe um comentário em nossa página, ou se preferir, pode entrar em nosso grupo do Whatsapp pelo link: Obtenha seu convite.

Você gostou desse conteúdo? Nós temos muito mais! Siga e compartilhe a página do Cointimes para se manter atualizado com os conteúdos mais relevantes. Estamos em todas as mídias sociais também: FacebookTwitterInstagram.