Nesta quinta-feira (22/10), uma das 3 pessoas citadas no White Paper do Bitcoin indicou novas tecnologias que podem ser utilizadas para melhorar o BTC.

Adam Back é um dos fortes candidatos para o título de “criador do Bitcoin”, ele foi até mesmo citado no white paper da criptomoeda. Mas independente da sua participação na origem do bitcoin, é inegável sua influência no mercado e conhecimento sobre o tema. 

Em conversa com a Bitcoin Magazine, o desenvolvedor e criptógrafo mestre em sistemas descentralizados revelou o possível caminho para as próximas grandes atualizações no protocolo do bitcoin. 

As atualizações do Bitcoin, como funcionam? Uma explicação para crianças

O Bitcoin é um sistema sem dono, sem CEO e cujo controle está nas mãos dos usuários, é o dinheiro do povo. A falta de controle central, entretanto, não impede melhorias na criptomoedas. 

O FIM DO REAL BANNER

Como também não existe obrigatoriedade em participar da rede, qualquer atualização precisa do consenso de mineradores, programadores e usuários, do contrário, qualquer uma das partes pode criar um fork – uma criptomoeda própria, visto que o código é aberto. 

Esse frágil equilíbrio moveu a criptomoeda para ter atualizações compatíveis com versões anteriores, dessa forma, quem está na rede pode continuar mesmo com melhorias incrementais. 

Pense no bitcoin como um prédio feito de Lego, você pode expandi-lo muito facilmente. Contudo, para mudar as fundações é preciso muito esforço e você pode acabar com o prédio partido em dois. 

Prédio de lego

Como ninguém quer um prédio em ruínas, tudo que é feito no BTC deve encaixar com os fundamentos. Eu explico mais profundamente essa analogia no podcast abaixo:

Simplicity: Uma nova linguagem para o Bitcoin

Nesse sentido, uma das grandes estrelas tecnológicas é a linguagem Simplicity. O BTC sempre teve contratos inteligentes, mas com escopo muito limitado. 

A Simplicity é uma linguagem de baixo nível pensada para expandir as funcionalidades dos contratos inteligentes do bitcoin de forma modular, mantendo baixo consumo de banda, transações seguras e semântica simples. 

A ideia foi criada por Ressel O’ Connor, desenvolvedor da Blockstream.

“Esperamos ter isso na Liquid no próximo ano… É uma ideia muito interessante, pois permite a criação de uma extensão para o bitcoin… outro ponto é que ela usa uma linguagem de baixo nível” – afirmou Adam.

Bulletproofs da Monero

Desenvolvido por um grupo de renomados criptógrafos, a Bulletproofs foi citada por Back como uma maneira de melhorar a privacidade do bitcoin. 

O protocolo permite a verificação da validade valores transacionados no blockchain sem revelá-lo. A tecnologia é atualmente usada pela cripotomoeda Monero e eu explico em mais detalhes seu funcionamento no vídeo abaixo: 

A inovação poderá, inclusive, ser usada em conjunto com a Simplicity para executar de forma privada e rápida algumas transações.

Quando veremos essas atualizações?

As melhorias seriam significativas, mas elas são ainda muito novas e devem passar por um longo processo de revisão;  O mesmo aconteceu com as assinaturas de schnorr , conforme descreve Adam:

“No bitcoin há um tempo entre a tecnologia ser criada até ser revisada e entrar para o bitcoin, a exemplo a schnorr signatures foi primeiramente discutida em 2013 e estamos aqui implementando-a em 2021”.

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br