A economia global já pode ter chegado ao fundo do poço, segundo o economista-chefe do Goldman Sachs Group Inc., Jan Hatzius.

goldman sachs
Jan Hatzius – Economista-chefe do Goldman Sachs.

Embora o crescimento econômico continue fraco, o atual indicador de atividade do Goldman em fevereiro está ligeiramente acima dos números de dezembro e janeiro revisados ​​para baixo.

“Alguns bons sinais estão surgindo e eles sugerem que o crescimento sequencial será melhor daqui para frente”, escreveram Hatzius e Sven Jari Stehn em nota de 26 de fevereiro. Ainda assim, a previsão do PIB global é de 3,5% para 2019.

Artigo relacionado:

Indicadores mostram sentimento positivo para economia dos EUA

O PIB dos EUA está em torno de 3%, o desemprego está em seu nível mais baixo em cinco décadas, a inflação está em 1,6% e os níveis de renda estão crescendo mais rapidamente por dez anos.

Os níveis de confiança dos consumidores dos EUA também se recuperaram em fevereiro em relação a números preocupantes em janeiro. O índice de confiança do Conference Board subiu para 131,4 de janeiro de 121,7. Isso supera as expectativas dos analistas em cerca de 124 pontos.

Os mercados de ações dos EUA e o índice Dow Jones também viram uma recuperação retumbante das perdas de dezembro. Embora alguns analistas acreditem que o desempenho recente das ações possa ser uma recuperação do mercado de baixa.

goldman sachs

Nos mercados, o Goldman Sachs:

Continua positivo em ativos de risco, embora o crescimento agora seja provavelmente menor, já que os mercados se tornaram “mais otimistas em relação à recessão”

Espera que os rendimentos dos títulos americanos subam;

Mantém uma visão de tendência de baixa para o dólar americano, devido a uma postura mais suave do FED (Banco central americano) em relação à condução de uma política monetária de aperto na taxa de juros;

Tem uma expectativa para uma recuperação no crescimento global;

Está modestamente otimista em relação ao petróleo nos próximos 2 a 3 meses, mas vê uma perspectiva mais pessimista para o restante do ano.

Artigo relacionado:

https://cointimes.com.br/guerra-comercial-pode-gerar-recessao-afirma-china-e-europa/

Economia pode passar por reviravolta

O argumento para uma retomada do ritmo atual é mais forte nos EUA, já que a resistência de um aperto nas condições financeiras diminui, de acordo com Hatzius.

O Goldman também vê sinais de uma reviravolta no crescimento chinês. Isso está de acordo com a visão geral dos indicadores de atividade da Bloomberg:

A Europa parece ser a região mais fraca, “com a Itália em recessão, a Alemanha próxima de uma e a maioria das outras economias crescendo apenas em ritmo de tendência”, segundo a nota.

O Goldman retomou suas expectativas para o primeiro aumento da taxa de juros protagonizado pelo Banco Central Europeu entre o final de 2019 e meados de 2020.

Quanto ao Fed, Goldman diz que as perspectivas de movimentação nos próximos 6 a 9 meses caíram e um aumento de juros no final do ano exigiria uma recuperação tanto do crescimento econômico quanto na alta da inflação.

Via Bloomberg

Você gostou desse conteúdo? Nós temos muito mais! Siga e compartilhe a página do Cointimes para se manter atualizado com os conteúdos mais relevantes. Estamos em todas as mídias sociais também: FacebookTwitterInstagram.