Devido a lotação das UTIs, idosos com mais de 80 anos na Itália que acabam infectados pelo coronavírus (COVID-19) não serão atendidos. Essa informação foi vazada pelo jornal The Telegraph, que diz ter tido acesso a um documento da unidade de gerenciamento de crises em Turim.

Médicos estão preocupados que idosos que tenham atendimento negado sejam deixados para morrer. Porém, com a forte e rápida proliferação do novo vírus, os leitos estão tendo que ser racionados.

O documenta aponta que “o crescimento da epidemia atual torna provável que seja alcançado um ponto de desequilíbrio entre as necessidades clínicas dos pacientes com COVID-19 e a disponibilidade efetiva de recursos intensivos.”

“Os critérios estabelecem diretrizes se a situação se tornar de natureza excepcional, a fim de tornar as escolhas terapêuticas em cada caso dependentes da disponibilidade de recursos, forçando os hospitais a se concentrarem nos casos em que a relação de custo/benefício é mais favorável para o tratamento clínico”.

O número de casos na Itália já ultrapassa os 31.506, enquanto o número de mortos é de 2.503. A situação está tão grave que até cemitérios estão lotando, a BBC noticiou que tiveram que abrir a igreja de um cemitério italiano para abrigar mais corpos.

Enquanto isso o Brasil já tem a primeira morte confirmada e parece estar na primeira fase de um crescimento exponencial semelhante, como o vídeo abaixo indica.


Leia mais:
++ Trump admite que economia “talvez” entre em recessão
++ Home Office: Como ganhar dinheiro em casa?