O bilionário canadense-americano Chamath Palihapitiya, CEO da Social Capital, chamou o Bitcoin de seguro contra uma potencial catástrofe econômica e recomendou a alocação de 1% do portfólio na criptomoeda.

Falando em uma entrevista, Palihapitiya recomendou que os investidores comprassem bitcoin como uma proteção contra um grande colapso financeiro.

Fundador e diretor executivo da empresa capitalista de risco Social Capital, alertou contra governos que tomam más decisões monetárias que acabariam impactando a população.

“Bitcoin, para mim, é a única coisa que eu vi até agora que é realmente fundamentalmente não correlacionada com esse processo de tomada de decisão e com esse órgão [regulador].”

Palihapitiya continuou, chamando o bitcoin de “aposta contra a classe dominante” de certa forma e recomendou que os investidores garantissem uma “pequena quantidade de seguro”.

O capitalista de risco previu que o sucesso do bitcoin resultaria em “massivos retornos assimétricos” no caso de um colapso econômico mais amplo. No entanto, ele alertou que o contexto do sucesso do bitcoin seria uma catástrofe.

“Se sua aposta em Bitcoin valer a pena, será cataclismicamente destrutiva para o mundo. E isso terá enormes consequências para muitas pessoas que todos conhecemos e nos preocupamos com quem não estava coberto no Bitcoin. E você quase não quer que isso aconteça.”

Meme fiquei rico com bitcoin

Cenário catastrófico benéfico para o Bitcoin?

A opinião do bilionário se assemelha com a de Luis Stuhlberger do Fundo Verde, que prevê um futuro incerto para as moedas estatais e para a própria capacidade dos governos pagarem suas dívidas.

“Isso é que eu chamo, às vezes eu brinco de chamar e essa expressão é minha, do grande plano Collor mundialUm dia você vai acordar e ver que seu dinheiro não vale nada e que você não pode sacar do banco.”

Stuhlberger, de forma semelhante a Palihapitiya, também sugere o bitcoin, mas adiciona ouro, terras e ações de boas empresas como “melhores que dinheiro.”

Você já está preparado para quando esse dia chegar?

Leia também: Conheça a maior dívida da história da humanidade.