Parece que os chineses gostaram tanto da moeda do Facebook que agora eles planejam copiá-la. Grandes autoridades do governo chinês já se pronunciaram sobre o assunto, inclusive empresas como Huawei podem estar interessadas.

Tudo começou quando o fundador da Huawei, Ren Zhengfei, disse para para o portal chinês Sina.cn ao se referir a moeda do Facebook:

“Por que devemos esperar os outros fazerem isso? O poder de um país é sempre maior do que uma companhia da Internet”

Mas isso não passaria de uma grandiosa especulação se não fosse a declaração de Zhou Xiaochuan, ex-presidente do People’s Bank of China (PboC) e pessoa com muitas ligações em Pequim. Zhou deixou implícito que a China deverá responder na mesma altura se a moeda do Facebook for lançada:

“ A Libra introduziu um conceito que irá impactar o modelo tradicional de negócios e pagamentos entre países. Em face a esse novo risco, mesmo sem ser o maior para a China, o governo deverá fazer boas preparações para tornar o Yuan uma moeda mais forte”

Ele também adicionou uma crítica as criptomoedas em seu comentário:

“ Um problema no início desenvolvimento [das criptomoedas] é que as pessoas estavam ansiosas para lucrar rapidamente e tornar as criptomoedas em itens para especulação em vez de um meio de troca”

Chineses animados com a Libra

China Weibo

E não é só o PBoC que está animado com a ideia da Libra. A rede social Weibo mostrou que a procura pela palavra Libra aumentou absurdamente, chegando a ser o terceiro termo mais procurado na famosa plataforma chinesa.

Pelo que tudo indica as companhias Tencent e Alibaba  também podem ajudar na criação de uma moeda como a Libra, visto a experiência com pagamentos no WeChat e AliPay.

Wang Xin, diretor de pesquisas do PBoC acha que uma moeda auxiliada pelo governo pode contrabalancear a possível dominação do mercado pela Libra e trazer eficiência ao sistema de pagamentos:

“Uma moeda digital criado pelo banco central pode melhorar a eficiência da política monetária, e ajuda na otimização do sistema de pagamentos”

A versão chinesa da Libra seria um contraponto lógico de Pequim à possível dominação de uma moeda ligada a Washington. Mas pelo que tudo indica, os legisladores estadunidenses, o público e o próprio presidente dos EUA não gostaram da ideia.