De acordo com anúncio de Tyler Winklevoss, essa é a primeira vez que um fundo público de investimento em Bitcoin é listado em uma grande corretora global.

A Toronto Stock Exchange movimenta mais de 1,62 trilhão de dólares todo os anos e é uma importante corretora no cenário internacional.

Segundo Winklevoss, a Gemini, exchange que Tyler fundou com seu irmão gêmeo Cameron em 2014, foi a escolhida como custodiante dos fundos.

The Bitcoin Fund

O The Bitcoin Fund é um fundo do tipo Closed-ended, portanto diferente de um ETF de bitcoin.

Como um fundo mútuo, um closed-ended fund possui um gerente profissional que supervisiona o portfólio e pode ativamente realizar trades para os cotistas.

A grande diferença é que, após seu IPO, a controladora do fundo não emite papéis adicionais. O fundo também não resgatará nem recomprará papéis. Em vez disso, como ações individuais, o fundo só pode ser negociado pelos investidores.

De acordo com Winklevoss, o The Bitcoin Fund inova por ser o primeiro fundo de bitcoin que pode ser resgatado pelo valor do ativo líquido [(Ativos – Passivos) / Número total de ações em circulação].

Além disso, o fundo foi aprovado pela Ontario Securities Comission, grande agência reguladora Canadense, e seria uma forma fácil de trazer novos investidores para a criptomoeda.

No entanto, através de um fundo, não se compra bitcoins, mas cotas (ações) desse fundo.

O fundo, por sua vez, indicou que irá investir em hold de longo prazo em bitcoin, comprando por exchanges e mercados de balcão (OTC) com boa reputação. The Bitcoin Fund também afirmou que não ia especular em variações de curto prazo do BTC.

Conforme o documento explicita, o fundo pode comprar tanto bitcoin quanto futuros de bitcoin, por exemplo utilizando a Chicago Mercantile Exchange (CME). Mas não vai diversificar em nenhuma outra criptomoeda.

E você, considera um fundo em uma grande corretora como uma boa ideia para trazer novos investidores ao Bitcoin? Deixe seu comentário abaixo ou levante um debate no nosso grupo do Facebook!