John MacAfee, dono da empresa de antivírus MacAfee, revelou que vai digitalizar os membros do congresso dos EUA, tokenizando cada um deles em blockchain e vendendo os tokens em sua corretora de criptoativos.

Comprando políticos

No dia 4 de janeiro, MacAfee anunciou em seu twitter que cada um dos 535 membros do Congresso dos Estados Unidos seria “tokenizado”. Cada político vai começar sendo precificado a 1 centavo de dólar. Justo? Muito caro?

“Os tokens serão listados no McAfeedex.com em 1º de março, com todos os tokens definidos inicialmente em um centavo – Depois, comece a negociação – Descubra o que seu representante realmente vale no mercado aberto.”, disse John.

Comrpe um congressista

Serão 183 milhões de tokens, a corretora vai permitir alavancagens de até 100 vezes o valor do usuário, ao que um dos seguidores de John respondeu:

“Bom – eu gostaria de shortar a Nancy Pelosi com alavancagem 100x”

Segundo o empresário, a equipe de desenvolvimento já recebeu ameaças de processo se o projeto prosseguisse. Contudo, McAfee não tem medo de processos, principalmente de burocratas.

Os políticos já estão comprados

Apesar da ideia parecer controversa para os políticos, a comunidade de criptomoedas gostou da iniciativa. Nos Estados Unidos, assim como em muitas democracias, os políticos já são comprados por corporações.

Algumas pessoas chegam a sugerir que eles utilizem os logos da empresa como jogadores de futebol. Diferente do Brasil, nos Estados Unidos, a compra de senadores através de doações é explícita e legalizada.

Como resultado, o público poderá também lucrar com os congressistas, ou perder ainda mais dinheiro com eles.

O que você acha desse projeto? Se fosse no Brasil, qual Congressista você estaria comprado e qual você faria um short? Quanto seu representante vale no livre mercado?