Em setembro de 2017 a família do holandês Didi Taihuttu resolveu vender tudo que tinha para comprar bitcoin e viajar pelo mundo, usando e espalhando conhecimento sobre a criptomoeda.

 Uma jogada extremamente arriscada! Será que isso deu certo ou eles estão passando por problemas financeiros? O que aconteceu com a “Família Bitcoin” nesses últimos 2 anos? 

Viagens com Bitcoin

Família Bitcoin cachoeira

“Família, liberdade e mudar o mundo para melhor” esse é um dos lemas que inspira a família de Didi a continuar sua jornada, espalhando as ideias do Bitcoin pelo mundo.

Após vender todos os seus bens para comprar Bitcoin, Didi, suas três filhas e esposa resolveram adotar um estilo de vida completamente diferente. Nas próprias palavras da família “um estilo de vida minimalista e sem stress” .

Nos últimos 6 meses eles têm viajado pelo mundo para divulgar o uso de criptomoedas, principalmente para ONGs e instituições de caridade.

 Taihuttu disse que já visitou 35 países até agora. Algumas cidades se destacaram, Rovereto na Itália e Ljubljana foram os locais em que 80% das despesas foram pagas diretamente com Bitcoin.

A Família Bitcoin faliu?

Família Bitcoin fogueira
Acampamento da família – Fonte: Instagram

A Família Bitcoin comprou a criptomoeda quando o preço dela estava por volta de 4 mil dólares. Ou seja, mesmo com a recente queda, eles mais do que dobraram o valor investido. Mas a ideia não é conseguir dinheiro fácil, e sim ter liberdade financeira.

O que aconteceu com a Família Bitcoin?

Bom, eles continuam sua jornada, postando fotos no blog Yolo Family Travel e ensinando como usar a criptomoeda da internet, o Bitcoin.

Claro, vender tudo e comprar Bitcoin é extremamente arriscado e até irresponsável em alguns casos, alguns especialistas indicam que no máximo 5% do seu portfólio esteja na criptomoeda. Conhecia a história da família bitcoin? Teria coragem para fazer isso? Deixe sua opinião nos comentários.