Acho que o que falta na máquina pública do Brasil é ser mais como o povo brasileiro, pegar risco, ser pioneiro, tentar inovar.” disse Yulgan Lira CEO da Colb Asset SA, ao comentar sobre como o Brasil poderia melhorar seu ambiente de negócios no mercado de criptomoedas. 

“É démodé o modelo de regulação proibitiva, que parte do pressuposto que o empreendedor é perigoso e assim se preocupa mais em criar burocracia do que realmente entender a sua realidade e assim redigir normas que protegem a sociedade ao mesmo tempo que permitem a inovação.” 

Ele também deu o “caminho das pedras”, sugerindo mudanças importantes para o cenário de criptomoedas como:

  • Incentivar as Universidades e Institutos Técnicos para capacitar profissionais que atendam a demanda da tecnologia
  • Permitir que as empresas paguem salário com criptoativos
  • Permitir que as empresas digitalizem no blockchain suas próprias ações
  • Permitir que os documentos tenham fé pública com o registro no blockchain

Em um país no qual os servidores públicos imprimem documentos digitais para em seguida digitalizá-los novamente, Yulgan parece sugerir algo de outro planeta. 

Veja também: Como o Brasil pode se tornar o paraíso do Bitcoin?