Se você está pensando em investir em criptomoedas, é muito importante que você não trate isso como um cassino, fazendo escolhas aleatórias e, principalmente, não esperando ficar rico facilmente. Mas analisando e avaliando com cuidado onde você pretende alocar seu suado dinheiro.

Com esse relatório disponibilizado aqui no Cointimes gratuitamente, você pode aprender a investir melhor conhecendo as análises de riscos e retornos de 20 criptomoedas diferentes.

O seguinte relatório apresenta de forma simples o resultado de dois indicadores projetados para o mercado financeiro convencional, e embora saibamos que o mercado de criptomoedas é novo e provavelmente indicadores próprios serão criados, esses índices podem ser muito úteis.

Vale lembrar que embora as principais informações desse relatório se mantenham relevantes com o tempo, os resultados dos índices podem ser considerados desatualizados por volta de um mês depois desta publicação.

Texto do economista Adeilton Filho:

Conhecendo os riscos e retornos dos seus investimentos em criptomoedas.

Muitas pessoas investem em criptomoedas com algum tipo de objetivo, porém muitas vezes embasado em sua concepção pessoal ou de terceiros sem ao menos investigar o que os números dizem, logo, sem pesquisar mais afundo em fundamentos tradicionais, que estão presentes na cartilha dos investidores. A relação entre risco e retorno é uma das principais, e que será apresentada, e analisada nas principais criptomoedas conforme o texto abaixo.

É bem verdade que muitos desses “investidores” são novatos, como também as próprias criptomoedas são algo novo e extremamente desafiador para se analisar, no qual o mercado anda está aprendendo a lidar, todavia, isso de forma alguma justifica um investimento as cegas. Afinal estamos falando do seu precioso recurso, que você, por meio de bons consultores, e principalmente se dedicando a estudar pode fazer esse investimento se multiplicar.

Relação Risco e Retorno

Uma das primeiras coisas que você pode fazer no seu ponta pé inicial no mundo dos investimentos é pesquisar as moedas que tiveram um passado positivo, e que seu projeto continua em crescimento, tanto com o envolvimento maior dos seus desenvolvedores, com também do contínuo crescimento dos seus usuários, isso tende a dar confiança para o mercado, onde naturalmente é manifestado na sua taxa de retorno ao longo dos anos.

Embora ainda recente, algumas criptomoedas com ETH e o próprio BTC já apresentam um período histórico que entrega um pouco de confiança para as análises de retorno, como também de sua volatilidade. A essa volatilidade tomamos como a taxa de risco, ou seja, os movimentos que o preço de seu criptoativo faz, quando se afasta dos retornos esperado.

Portanto, assim como um arqueiro tentando acertar um alvo, quanto mais tentativas ele executa ao longo do tempo, melhores são as chances de se prever qual será o resultado de sua próxima tentativa, embora isso não signifique saber o resultado, nos ajuda a reduzir a incerteza, sendo essa incerteza sempre inerente na dinâmica do mercado, daí a expressão; “Retornos passados não garantem retornos futuros”, essa analogia também nos ajuda a entender porque é importante ter uma série histórica grande para poder ter resultados mais fiéis.

Os índices Sharpe e Calmar

Como dito antes o mercado das criptomoedas é bastante recente, porém existem alumas moedas que já apresentam uma séria histórica aceitável para um princípio de análise, enquanto outras nem tanto. Para resolver esse problema vamos utilizar moedas conceituadas, e mais antigas, como também usaremos dois índices de relação risco e retorno, são eles; índice de Sharpe e índice Calmar.

O primeiro índice é o mais famoso e usual, e foi criado por William Forsyth Sharpe, que foi Nobel de Economia (1990). Embora seja um excelente indicador, apresenta desajustes com séries curtas e muito voláteis, pois a variação é bastante penalizada em seu modelo, portanto logo de cara, pode-se afirmar que não apresentará um bom ajustamento para a maioria das criptomoedas.

O Segundo índice foi criado por Terry W. Young em 1991, o índice Calmar é abreviação para Califórnia Managed Account Reports, e foi desenvolvido para séries mais curtas e para apurações mensais, ou seja, tende-se a ajustar melhor com a dinâmica volátil dos criptoativos.

Antes de iniciar os testes é importante o leitor entender a importância de um índice de risco e retorno, e definitivamente incorporá-lo na sua ferramenta de análise, ou seja, antes de comprar uma criptomoeda seria de fundamental importância saber qual é a sua relação de risco e retorno.

A relação risco e retorno é um indicador que demonstra que para se obter mais retorno, eventualmente se corre mais riscos. Assim, torna-se mais complexa a escolha de um ativo, que embora seja mais rentável possa oferecer um risco maior em comparação a um outro ativo um pouco menos rentável, porém mais seguro.

O índice simplifica essa análise, onde geralmente valores iguais ou maiores que um representam ativos com relação risco e retorno compensatórias, e mais, ao se comparar dois ativos o que tiver o valor do índice maior é também superior na relação entre o risco e o seu retorno dentre os ativos.

Porém, em alguns casos, investidores podem considerar que ao menos com 0,50 de índice, tem-se uma boa relação. Neste caso, significa, que para cada 1% de retorno em ganhos teremos 2% de aumento no nível de risco.

A análise com índice Sharpe

Para se fazer a análise, foram selecionadas 20 criptomoedas, sendo elas; ADA, BCH, BNB, BTC, BTG, DASH, DCR, DOGE, ETH, HUOBI, IOTA, LTC, NANO, NEO, TRON, WAVES, XLM, XMR, XRP e ZEC.

Os dados coletados se iniciam em 2016, pois, embora séries históricas mais longas trazem resultados mais fiéis, não se pode levar isso de maneira literal, porque seria uma irresponsabilidade trazer uma série histórica mais longa no tocante a criptoativos, pois estamos falando de ativos que muitas vezes se iniciam com valor praticamente zero ou ainda com muita influência especulativa, e com um mercado pequeno, portanto, ainda sujeito a forte manipulação no seu período inicial.

Enquanto que a partir de 2016 o mercado tem corpo suficiente para amenizar essas ações, sendo por isso o período escolhido para iniciar o recorte dos dados. E os resultados estão na tabela abaixo:

Índice Sharpe para riscos e retornos
Fonte: autor.

*Retorno anual acumulado com o recorte dos dados a partir de 2016.
** Foi utilizada a taxa anual da CDI.

A tabela acima apresenta os criptoativos que apresentaram resultado positivo no índice de Sharp. Com BNB sendo o grande destaque, que embora ofereça um retorno menor que a XLM, tem um índice de Sharpe maior, ou seja, tem um risco retorno melhor.

Já a XRP teve quase o mesmo retorno acumulado, todavia com uma relação risco retorno inferior ao BNB. Completam as moedas com Sharpe maior que 1; BTC, ETH e LTC, enquanto; Tron, XMR e Huobi obtêm um índice superior a 0,5.

Criptoativos com Índice Sharpe Negativo:

Criptomoedas no negativo no índice Sharpe para riscos e retornos
Fonte: autor.

ADA cardano e a Nano foram as piores colocadas dentre as 20 criptomoedas selecionadas, ambas como o índice de Sharpe negativo acima de -0,5. Definitivamente não estão em um bom momento para se investir, pois não é uma questão de estar com o preço baixo, mas de que o seu risco não compensa o retorno neste momento.

É bem verdade que os números apenas mostram a situação atual, e não dispõe de outras informações que talvez você tenha, portanto, caso essa seja sua única informação acessível, se faz aconselhável não investir no momento.

A análise com índice Calmar

Agora vamos analisar o mesmo recorte de dados dos criptoativos com o índice Calmar, que tudo indica se ajustar melhor com as criptomoedas, onde esse índice deve ser extraído mensalmente, embora os resultados sejam de projeções anualizadas, assim como foram no índice anterior, pois embora o monitoramento seja feito de modo mais frequente para melhor análise do risco retorno das criptomoedas.

Deve-se sempre investir neste mercado com um olhar de longo prazo, por isso os resultados são de volatilidade e retornos anuais.

Criptoativos com índice Calmar positivo:

Índice Calmar para riscos e retornos
Fonte: autor.

O grande destaque na tabela acima com índice Calmar é que todos os criptoativos tiveram uma relação risco retorno > 1 (maior que um), exceto a Dash. Este índice não penaliza as flutuações para cima da moeda, é por isso que o desempenho delas melhoraram bastante.

Porém, nota-se que o índice do BTC caiu em relação ao do índice Sharpe de 1,48 para 1,41 o que demonstra que a criptomoeda está cada vez mais estável, embora apresente ainda queda acentuada, que foi medida pela taxa de MDD (Maximum Drawdown), porém o principal fator é que os seus retornos estão cada vez menores ao longo dos anos, se comparado as demais criptomoedas da listagem.

Conclusão

Deste modo foi possível observar a importância que o índice de risco e retorno pode contribuir para a melhor a locação de nossos investimentos de maneira muito simples. Sendo um índice fundamental que é possível de ser explorado pelo mais inciante investidor.

Foi observado também que o índice Calmar tem um ajuste melhor para as criptomoedas. E que das 20 moedas analisadas apenas 10 tiveram risco retorno positivo e apenas 9 risco retorno satisfatórios.

É importante salientar que esse indicador não deve ser sua única referência em seus investimentos, mas sim uma ferramenta a mais para lhe auxiliar.


Conheça o relatório mais completo de Bitcoin do Brasil, o Cointimes Research #01.