Desde dezembro de 2013 o sueco PewDiePie é o maior Youtuber do mundo em número de inscritos, mas seu reinado na plataforma de vídeos do Google pode estar com os dias contados. Um adversário desconhecido pela maior parte do ocidente vêm assolando o sueco e isso pode simbolizar muito mais do que uma batalha por inscritos.

O adversário do sueco é o canal T-Series, que contém basicamente músicas indianas, vídeo clipes e centenas de playlists com artistas famosos da Índia. Seu crescimento foi absurdo, entre julho de 2017 e o dia de hoje o T-Series cresceu incríveis ~345%

O vídeo abaixo mostra a evolução do número de inscritos por canal, perceba a explosão de subscribers no canal indiano a partir de 2017:

Índia e seu novo capitalismo

Há um motivo para esse enorme crescimento do T-Series e ele tem a ver muito menos com a boa música do país e mais com o mercado em expansão.

O gráfico abaixo mostra a penetração dos smartphones na população, em 3 anos o mercado indiano cresceu 6%.


Fonte: https://www.statista.com/statistics/257048/smartphone-user-penetration-in-india/

Há quase 1 bilhão de pessoas sem um smartphone na Ìndia , situação que está mudando com a chegada de gigantes como Samsung, Apple e Xiaomi, todas elas instalaram fábricas no país.

A verdade é que uma boa parte dos gastos em marketing, R&D e centros de distribuição das gigantes Oppo, Xiaomi têm sido direcionados para Nova Deli.

“Índia é de importância estratégica e o maior mercado fora da China” afirmou o vice presidente da Xiaomi,  Manu Kumar Jain.

Segundo o relatório Visual Networking Index da Cisco, o consumo per capita de dados na Índia crescerá de 2,4 GB em 2017 para 14 GB em 2022 e grande parte disso por conta do mercado de smartphones.

O país está passando por gigantescas modificações e tem crescido acima da taxa mundial, entre 2016 e 2018 foi o país que mais cresceu no mundo, na frente da China e dos Estados Unidos.


Fonte – Banco Mundial

Oportunidades além do Youtube

Narendra Modri, o popular e liberal presidente da Índia

Os dados acima ajudam a explicar o crescimento do T-Series, mas também mostram uma oportunidade maior. Segundo o relatório da Mckinsey, cerca de 89 milhões de pessoas vão entrar no mercado consumidor indiano nos próximos 6 anos.

Nesse mesmo espaço de tempo algumas cidades indianas caminharão para se tornarem as mais populosas do mundo, é previsto que Delih atinja o posto de cidade mais populosa entre 2026 e 2027. De fato, dentre as 20 cidades que mais crescem no mundo 17 estão na Índia.

Isso significa oportunidades de negócios que passam pelos setores de construção, manufatura, agricultura e principalmente serviços financeiros.

Não é sem motivo que o Facebook irá lançar sua criptomoeda primeiro na Índia. Quem tem boa memória vai lembrar do desastre de 2017, quando o governo indiano resolveu retirar todas as notas de alto valor do mercado, devido a dependência da economia em dinheiro físico os tragos de tal ação custaram 50 bilhões de dólares.

Desse episódio para cá o governo indiano tem tomado uma série de ações para incentivar o uso do dinheiro digital, criando a iniciativa Cashless Índia – que envolve bancos, iniciativas governamentais e até guias com sugestões de implementação.

O banco central da Índia (RBI) só não é tão a favor das criptomoedas descentralizadas, há receios de que a economia indiana poderia ser desestabilizada com o uso massivo de criptomoedas como o Bitcoin.  Por outro lado, o governo incentiva a criação de produtos utilizando a tecnologia do blockchain.

Apesar de todo esse potencial, o governo indiano precisa fazer mudanças estruturais. Ao longo das duas últimas décadas muitas políticas pró-mercado foram adotadas, mas ainda não é o suficiente para apagar o passado autárquico do país.

A disputa entre T-series e PewDiePie  representa parte da mudança que está acontecendo no mundo, milhões de pessoas estão ganhando acesso a tecnologias que antes eram exclusividade da classe média. A pergunta que fica é  veremos outros T-Series em outras áreas?