A popular plataforma peer-to-peer (P2P) Paxful está encerrando suas operações na Venezuela, e a atitude foi tomada para evitar sanções econômicas dos Estados Unidos.

De acordo com o Bitcoin.com, um porta-voz da Paxful revelou que o site agora está restringindo a criação de novas contas e fechando as antigas como parte do processo de encerramento.

Os venezuelanos que comprovaram morar fora do país, verificando seu endereço, podem continuar negociando na Paxful.

O porta-voz acrescentou:

“Os usuários atuais terão 30 dias para sacar seus fundos sem taxas e serão notificados diretamente por e-mail sobre como fazer isso.”

O serviço citou os regulamentos rígidos do Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC) do Departamento do Tesouro dos EUA como a razão por trás da mudança, e disse estar “muito decepcionado”, pois teve que se proteger contra resultados punitivos em potencial.

O porta-voz da Paxful acrescentou que a própria tolerância ao risco da empresa a fez cessar as operações no país, apesar de ter feito seus “melhores esforços por vários meses”.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, a empresa agradeceu aos usuários venezuelanos.

De acordo com as sanções do OFAC, os cidadãos americanos estão proibidos de fazer negócios com o governo venezuelano ou qualquer outro negócio de propriedade do governo, entre outras restrições.

Dados da Useful Tulips mostram notavelmente que no país, nos últimos sete dias, cerca de R$ 131 milhões em BTC foram negociados na Paxful.

Em comparação, na concorrente LocalBitcoins, mais de R$ 23 milhões foram negociados na Venezuela durante o mesmo período. Paxful lembrou que se as coisas mudarem em relação ao país, ele voltará a entrar no mercado.

Segundo um recente estudo, a adoção de Bitcoin está crescendo na Venezuela por conta da hiperinflação, ou seja, o momento é crítico para os venezuelanos que buscam ativos escassos para proteger suas economias.