Posse de arma é flexibilizada no Brasil

O presidente da república Jair Bolsonaro facilitou através de decreto a posse de arma no Brasil, isto é, a possibilidade de o cidadão guardar a arma em casa ou em seu estabelecimento. O presidente eleito disse que está fazendo valer o resultado do referendo de 2005, no qual 63,5% da população brasileira votou a favor do comércio de armas.

Atualmente, para ter uma arma no Brasil, o cidadão precisa cumprir uma série de requisitos como: ter mais de 25 anos, declaração de bons antecedentes, curso de tiro e teste psicotécnico. Além de declarar “efetiva necessidade”. Com a flexibilização da posse, esse “efetiva necessidade” passa a englobar brasileiros que moram em cidades com altos índices de violência.

O que quer dizer que, na prática, todos os cidadãos brasileiros serão englobados nessa flexibilização. Uma cidade é violenta quando a taxa de homicídios dela é de 10 para cada 100 mil habitantes. A maioria das cidades de todos os estados supera facilmente esse quesito.

Abaixo é possível ver um mapa que mostra a taxa de homicídios proporcional à população. Se considerada a taxa de mortes por 100 mil habitantes, Sergipe é o estado que tem, proporcionalmente, mais homicídios no país.

posse de arma e a taxa de violência por estado
Taxa de homicídio a cada 100 mil habitantes. Fonte: Gazeta do Povo.

Qual é o tamanho do mercado de armas no Brasil?

Não existe um número exato que revele o tamanho do mercado de armas no Brasil. Para falar a verdade, existem poucas informações acerca desse mercado. Por isso, a análise vai se concentrar nas principais empresas de armas atuando no mercado brasileiro.

Segundo o ADVFN, a Taurus, principal fabricante de armas no brasil, obteve uma receita bruta de R$870 milhões em 9 meses de 2018. Considerando que a empresa tem a maior fatia do mercado de armas no Brasil, poderíamos dizer que esse mercado, de forma legal, não movimenta menos que R$ 1 bi por ano.

Em 2018, a receita com a venda de armas subiu 17,4%, para R$ 188,6 milhões. Embora o principal mercado da companhia seja os Estados Unidos, no Brasil o crescimento foi maior. Foram R$ 101,1 milhões de janeiro a setembro, avanço de 73% sobre igual período do ano passado.

com a flexibilização da posse de arma, as receitas da taurus vão subir
Resultado Anual da Taurus em 2018. Fonte: ADVFN

Uma demonstração do resultado de exercício da IMBEL, localizada na página 22 do relatório, mostra uma receita bruta de mais de R$95 milhões em 2017. Enquanto essa receita foi de R$129 milhões no ano de 2016. Sendo a maior parte dessas receitas realizadas no mercado interno.

Comparando internacionalmente, o mercado brasileiro é ainda pequeno. A venda de mundial de armas alcançou US$65 bilhões, segundo o
instituto de análise de defensa IHS
Jane’s. Só os EUA importaram US$ 22,69 bilhões em 2015. Esse número considera apenas o mercado legal de armas, somando o mercado negro, o número deve ser muito maior.

Uma estimativa da Polícia Federal mostra que existem mais de 640 mil armas em posse de pessoas físicas no Brasil. Mas quando expandimos isso para polícias, empresas privadas, caçadores e colecionadores, ou seja, considerando o total, estima-se um total estimado de 6,8 milhões de armas registradas circulando legamente, segundo o Exércio Brasileiro.

O número de armas de fogo registradas vem crescendo no Brasil a cada ano desde 2005. Com a flexibilização da posse de arma, esse número tende a apresentar um grande crescimento. Isso explica o crescimento das ações da Taurus – maior fabricante de armas no brasil – ainda no ano de 2018. Analisamos a empresa e você pode conferir o post ao lado: Ações da Taurus, subida é especulação ou tem fundamentos?

posse de arma de fogo aumenta seus registros a cada ano
Crescimento de armas registradas legalmente no Brasil.

Empresas que disputam o mercado nacional

De fabricante nacional que seja relevante, o mercado brasileiro conta Taurus e Imbel (empresa pública que é vinculada ao Ministério da Defesa e subordinada ao exército). Contudo, a Taurus é a única empresa privada que está listada na Bolsa de Valores e detém a maior parcela do mercado nacional.

Quando são consideradas empresas estrangeiras, o mercado nacional é disputado por marcas consagradas internacionalmente como Glock, Beretta, SIG Sauer e Iwi. Entretanto, ainda existe uma grande reserva de mercado para a Taurus, que sofre bastante com reclamações e questionamentos acerca da qualidade de fabricação de suas armas.

Teoricamente, 131 milhões de brasileiros podem ter acesso a armas de fogo

Com a flexibilização da posse de arma, em tese, 131 milhões de brasileiros teriam acesso a armas de fogo. Esse número engloba apenas pessoas que possuem a partir de 25 anos, segundo o site populationpyramid. Contudo, o número efetivo deve ser bem menor, considerando a população economicamente ativa com poder aquisitivo para comprar uma pistola simples.

A pistola mais simples da Taurus é vendida em algumas lojas por R$4.000,00 à vista no boleto. Podendo ser financiada em até 10x, saindo por um preço de R$4.444,00 ou em 10 parcelas de R$444,40. Considerando que o salário mínimo de R$998,00, uma grande parte da população brasileira não conseguiria comprar uma arma nessas condições.

Contudo, uma facilitação nas condições de financiamento e o aumento de concorrência, ajudariam essa parte da população a ter acesso a esse mercado de armas.

mercado de armas vai crescer com legalização do posse de arma de fogo

Além disso, existem custos com documentos, treinamentos, provas e intermediários, que aumentam de forma considerável o custo para se obter a permissão para ter a posse de uma arma em casa. Logo, não será tão barato comprar uma arma legalmente no Brasil.

Como é difícil determinar com exatidão quantas pessoas comprariam uma arma, até mesmo pela falta de dados, é preciso estimar um número que seja realista e até mesmo pessimista. Então, considerando que 0.5% dessa população compre apenas uma pistola simples da Taurus, o mercado de armas no Brasil terá negociado mais de R$ 2,9 bilhões legalmente.

Mais uma vez, os números desse texto contemplam apenas armas que são negociadas legalmente. O número de armas negociadas e dinheiro movimentado no mercado negro é muito maior. O filme “Senhor da Guerra” conta um pouco sobre esse mercado paralelo.

Conclusão

Caso seja mantida a flexibilização da posse de arma no Brasil, o mercado de armas brasileiro inevitavelmente passará por uma grande expansão. Por conta dessa narrativa, as ações da Taurus valorizaram-se absurdamente em 2018 pegando carona nessa possibilidade.

Não só os fabricantes de armas que ganham com essa expansão do mercado, todo o setor se beneficiará: empresas especializadas na obtenção da posse de arma, despachantes, estandes e escolas de tiro. O número pessimista de R$2,9 bilhões, talvez se mostre pequeno com o potencial de um dos mercados que mais crescem no mundo.

Se você tiver uma opinião ou gostaria de discutir o assunto, deixe um comentário em nossa página, ou se preferir, pode entrar em nosso grupo do Whatsapp pelo link: Obtenha seu convite.

Você gostou desse conteúdo? Nós temos muito mais! Siga e compartilhe a página do Cointimes para se manter atualizado com os conteúdos mais relevantes. Estamos em todas as mídias sociais também: FacebookTwitterInstagram.

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br