Ações da Taurus

As ações da Taurus vêm chamando atenção pela sua valorização recente. Nesse texto vamos entender se esse movimento é racional ou apenas uma euforia sem sentido. Vamos analisar o balanço e o seu contexto dentro do mercado para entender melhor a sua valorização nesse ano.

Taurus é uma companhia brasileira de capital aberto com sede em São Leopoldo, no estado do Rio Grande do Sul, Brasil. A empresa fabrica armas de fogo, armas de airsoft, coletes à prova de balas, capacetes motociclísticos, contentores plásticos e peças de aço geometricamente complexas (através do método de Moldagem por Injeção de Metal). Ela exporta seus produtos para mais de 70 países e emprega mais de 2.600 funcionários.

Reserva de mercado

Atualmente, a empresa detém uma confortável reserva de mercado por conta da regulamentação brasileira. O Exército não pode importar armamentos quando existe a fabricação de similares no mercado nacional. Dessa forma, os órgãos públicos de segurança ficam impossibilitados pela lei de importar armamentos mais adequados e quase que obrigatoriamente consomem armas da Taurus.

Ou seja, a empresa não tem a concorrência de importados para os maiores demandantes de armas no Brasil. Em virtude disso, ela em tese deveria possuir uma ampla margem de lucro e ótimos números em seu Balanço Patrimonial, mas não é isso que encontramos quando paramos para olhar mais detalhadamente. Abaixo segue o Balanço:

balanço patrimonial das ações da taurus
Fonte: https://br.advfn.com/bolsa-de-valores/bovespa/forjas-taurus-FJTA4/balanco

A situação financeira da empresa não é nada confortável do ponto de vista financeiro. No balanço do segundo trimestre de 2018, a Taurus possui apenas R$ 534.876 em ativos circulantes para pagar um passivo circulante de R$ 1.087.337. Isso quer dizer que a empresa não tem ativos o suficiente no curto prazo paga pagar seus passivos de curto prazo. Olhando o resultado anual desde 2009, a empresa só teve lucro em 3 ocasiões.

ações da taurus
Fonte: https://br.advfn.com/bolsa-de-valores/bovespa/forjas-taurus-FJTA4/balanco

Se as finanças da Taurus não estão bem, por outro lado, suas ações negociadas na BOVESPA apresentaram um crescimento de 399% (até o momento em que esse post era escrito). Para uma boa análise fundamentalista, precisamos às vezes nos afastar dos frios números dos balanços e tentar encontrar alguma explicação coerente.

Efeito Bolsonaro

Desde que as pesquisas eleitorais começaram a serem feitas excluindo o Lula, Bolsonaro esteve sempre na liderança. É de conhecimento público que o candidato possui uma postura pró-armamento da população. Com isso, encontramos uma explicação: investidores estão investindo na Taurus com expectativa da legalização ou flexibilização do porte de armas no Brasil.

Existe então a crença de que ela poderia passar a vender armas em um volume muito maior do que hoje. A Taurus seria vendida no crediário, em lojas, internet, enfim, uma miríade de opções para facilitar o consumo da população. Olhando por essa ótica é extremamente empolgante e o crescimento é justificado. Mas infelizmente não é bem assim que as coisas ocorrem.

Armas de qualidade duvidosa

A qualidade das armas Taurus é alvo de questionamentos por parte das forças policiais. Existe uma boa quantidade de vídeo expondo armas que disparam sozinhas, que travam a qualquer momento ou que simplesmente deixam de funcionar. Esses problemas são graves e podem comprometer operações e causar acidentes, o que coloca em risco toda a reputação da empresa.

Além disso, acidentes ou mal funcionamento podem aumentar o custo judicial da empresa. Milhares de pessoas e órgãos públicos que se sentirem lesados pela Taurus poderiam processar a empresa, o que complicaria a sua situação no curto prazo.

Bolsonaro critica Taurus

Também não é novidade que o ex-capitão critica publicamente as armas da Taurus. Ele, por exemplo, é a favor da abertura do mercado para a concorrência de armas estrangeiras, que já foram exaltadas pelo candidato em algumas ocasiões.

Ou seja, a Taurus poderia se beneficiar em um primeiro momento com a flexibilização do porte de armas, por outro lado, caso não melhore suas finanças e a qualidade do produto, será rapidamente suplantada pela forte concorrência do exterior. O que é um fato preocupante para investidores da empresa.

Conclusão

Parte da valorização apresentada pelas ações da Taurus é real. No entanto, uma grande parte dessa valorização se trata de pura especulação e euforia. A empresa apresenta anos seguidos de prejuízos, resultado de uma gestão financeira questionável. Além disso, o seu principal produto, as armas, apresentam um histórico questionável em relação à sua qualidade, sendo questionada inclusive pelo candidato que impulsiona essa alta nas ações.

Uma flexibilização desse mercado pode trazer benefícios para a Taurus? Com certeza, se entra mais receita, aliada a uma boa gestão, a empresa terá a possibilidade de melhorar a qualidade do seu produto aliado ao know-how trazido pelos novos entrantes nesse mercado. No entanto, a competição poderá ser suficiente para complicar a vida da maior fabricante de armas do Brasil.

O investidor que deseja embarcar nessa precisa tomar cuidado, talvez o trem já tenha passado. É possível uma nova valorização? Com certeza, mas a maior parte dela já se deu durante o ano. Quem deseja lucros rápidos deverá definir um alvo nem tão elevado e liquidar suas ações para realizar seus lucros.

Leitura recomendada:

O que acontece com o dólar se o seu candidato vencer

Este tipo de conteúdo é relevante para você ou alguma pessoa que você conhece? Se for, siga e compartilhe a página do Cointimes e se mantenha sempre atualizado no mercado – FacebookTwitterInstagram.