A ata do BC diz que o Brasil só vai crescer depois da reforma previdenciária:

“Uma aceleração do ritmo de retomada da economia para patamares mais robustos dependerá da diminuição das incertezas em relação à aprovação e implementação das reformas – notadamente as de natureza fiscal – e ajustes de que a economia brasileira necessita.”

Visão

Quem não sabe disso? A única maneira de fazer a economia crescer sustentavelmente no longo prazo é com a aprovação dessa reforma. Se isso não passar, os déficts do governo vão se tornar mais agudos, aumentando o risco país.

Para financiar o aumento desse risco país, o governo vai ter que fazer o usual: subir Selic nas alturas e desvalorizar o Real enquanto lida com desemprego e estagnação econômica. Seria um cenário pior do que em 2015 e ninguém quer isso.

Mas parece que o Congresso Nacional não sabe disso. Rodrigo Maia, Guedes e Bolsonaro devem deixar as rusgas de lado e se concentrarem na aprovação da reforma.