A Reserva Federal dos Estados Unidos passou, recentemente, a “quarentenar” notas de dinheiro físicas que são recebidas de regiões asiáticas, em períodos de 7 a 10 dias.

A ação seria realizada como medida de precaução contra a proliferação da doença em pontos de importância do país, de acordo com uma porta-voz.

Além disso, a Reserva mantém estoques contingentes de moedas para atender à demanda econômica, processando notas e moedas rotineiramente por serviços bancários. Existem, atualmente, US$1.75 trilhões de notas da Reserva Federal em circulação.

A porta-voz ainda acrescenta de que o Banco Central “estaria pronto para modificar suas aproximações ainda mais”; isso caso o Centro de Controles de Doenças (CDC) ou o Departamento Estadual identificassem necessidade.

A decisão é questionada por alguns; em matéria da Veja, é afirmado que a doença seria capaz de sobreviver até 9 dias fora de um corpo, até eventualmente morrer. Além disso, também possui pouca resistência à produtos comuns de limpeza desinfetante, como álcool, alvejante e outros.

Moedas Digitais poderiam ser a solução?

Algo que queremos destacar nessa situação específica é a de que, hipoteticamente falando, os Bitcoins e os Stablecoins seriam duas ótimas soluções para o problema apresentado nesta matéria.

  • Ambos são totalmente digitais, o que evitaria a contaminação por transmissão física de doenças;
  • Facilidade de transações internacionais quase-instantâneas;
  • Não precisa ser fisicamente armazenado;
  • Nunca tem seus “servidores desligados”, como bancos convencionais

Se você não se sente atraído pelas criptomoedas instáveis, como o valor (em dólares) do Bitcoin ser altamente volátil, você pode sempre recorrer às Stablecoins, que costumam oferecer “previsibilidade” (ou estabilidade, se preferir) muito maiores que criptos comuns.

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br