De acordo com os dados do Banco Central, o déficit nas transações correntes chegou a US$7,874 bilhões no mês de outubro.

As transações correntes são formadas pelos serviços adquiridos no exterior, rendas enviadas para fora do país, como remessas de dividendos e lucros.

É o pior resultado desde 2014, quando o déficit atingiu a marca de US$9,305 bilhões.

O Banco Central esperava um déficit de apenas US$5,8 bilhões. O governo espera um rombo de US$45,657 bilhões no acumulado anual. Contudo, o IDP (investimento direto no país) somou US$62 bilhões, superando