Ontem o FED (Banco Central dos Estados Unidos) cortou a taxa de juros em 50 pontos base.

Com receio de uma recessão devido aos efeitos do coronavírus, o FED usou da política monetária para tentar animar a economia. Mas não foi a primeira vez que isso aconteceu.

Pouco antes da crise mundial em 2008, o FED fez duas reuniões emergenciais para cortar os juros.

Em janeiro de 2008 o órgão cortou os juros para 3,5% em uma redução de 75 pontos base. O Banco Central já via que a economia estava fraca e declarou que fez a redução “em vista do enfraquecimento econômico… e do risco cada vez maior de diminuição no crescimento”.

Após o colapso do Lehamn Brothers, que levou a criação do Bitcoin, o FED também anunciou um corte de 50 pontos base para 1,5% nos juros.

“O Comitê tomou essa ação à luz de evidências que apontam para um enfraquecimento da atividade econômica e uma redução nas pressões inflacionárias”, disse o FED na época.

O gráfico abaixo, publicado na Bloomberg, mostra o histórico das mudanças na taxa de juros feitas entre as reuniões agendadas do FED:

Mudanças emergenciais na taxa de juros pelo FED.

Os estímulos funcionaram?

A pergunta que fica é se os estímulos econômicos funcionaram ou não. A resposta é difícil de ser dada, visto que a recuperação ou depressão econômica são multifatoriais.

Contudo, fica claro que a diminuição da taxa de juros em janeiro de 2008 não evitou a crise de que estava por vir.

Até mesmo o próprio presidente do FED declarou que as medidas tomadas ontem “não serão suficientes” para superar o coronavírus.

Com menos espaço diminuição da taxa de juros, o FED vai ficando sem opções se outros problemas surgirem. Se a tentativa de fortalecer a economia vai dar certo, só o tempo dirá.

E aí, você acha que um crise econômica se aproxima como aconteceu em 2008? Deixe sua opinião nos comentários.

Siga e compartilhe a página do Cointimes para se manter atualizado com os conteúdos mais relevantes. Estamos em todas as mídias sociais também: FacebookTwitterInstagram.