As pirâmides financeiras atingiram os templos sagrados com promessas de ganhos milagrosos. Pastores evangélicos agora são acusados por investidores da Unick Forex de apropriação indébita.

Resumo da matéria:

  • Um pouco do caso Unick Forex;
  • Cliente vai armado cobrar pastor
  • Pastor já está em “outra empresa” e se exime da culpa

O caso da Unick já é conhecido por leitores do Cointimes, a pirâmide conseguiu movimentar mais do que as corretoras de bitcoins brasileiras somadas em um ano.

São mais de R$28 bilhões movimentados e cerca de R$12 bilhões em dívidas de acordo com o MPF.

Pastores da Unick

Conforme áudios revelados em grupos de WhatsApp e pelo canal do Youtube Verdades que Chocam, um investidor foi armado cobrar um pastor que era líder da Unick Forex.

Contudo, o pastor não estava presente e teria respondido que a igreja não faz parte do esquema e que ele já está em “outra empresa”.

“A igreja não tem nada a ver, entendeu, tem que falar isso. E deixar o segurança esperto aí, se esse cara aparecer por aí tem que barrar ele. […] Eu nem estou mais, saí da Unick, estou em outra empresa já”, afirmou o pastor

Existe a suspeita que o pastor teria perdido R$ 1 milhão na Unick Forex.

Faraós reincidentes

Reparem que o pastor afirmou que está em outra empresa. É muito comum no Brasil acharmos ex-líderes de pirâmide fundando ou participando de outros esquemas.

Recentemente, um ex-sócio da Telexfree lançou a Pipz, outra empresa de “marketing multinível” com grandes suspeitas de ser uma pirâmide financeira.

Alguns líderes até tentaram ressuscitar a antiga Unick, mas o projeto ainda não embalou.

Veja também: Unick Forex 2.0 é lançada, com antigos líderes no comando