As usinas no Irã agora podem minerar criptomoedas, confirmou o vice-chefe da Companhia de Geração, Distribuição e Transmissão de Energia (Tavanir) do país.

Mostafa Rajabi Mashhadi, vice-chefe de Tavanir, explicou que as entidades precisam solicitar as licenças necessárias do Ministério da Indústria, Mina e Comércio e cumprir as tarifas estabelecidas para a mineração de criptomoedas.

Ele disse à publicação da IRNA na segunda-feira:

“As usinas de energia devem enviar suas solicitações e seguir a tarifa aprovada estabelecida para os centros de mineração de criptomoedas.”

Isso seria como se o governo brasileiro desse autorização para a usina nuclear de Angra ou para Itaipu minerarem criptomoedas como o Bitcoin. Mas claro, a situação do preço de energia é muito diferente nos dois países.

As mineradoras estão estabelecendo operações no Irã para aproveitar as tarifas subsidiadas de eletricidade do país. Os dados mostram que as fazendas de mineração no Irã pagam de US$ 0,01 a US$ 0,05 por um quilowatt-hora (kWh) de eletricidade.

No entanto, as taxas aumentam quatro vezes durante o pico da temporada de verão, levando Tavanir a anunciar que cortará até 47% das tarifas de eletricidade para os mineradores durante os períodos de pico de consumo.

Veja também: Como minerar Bitcoin? Como funciona a mineração?

Rajabi Mashhadi observou que recentemente foram concedidas permissões para 14 fazendas de mineração de criptomoeda, cada uma com capacidade de 300 megawatts, como noticiou o Bitcoin.com.

Além disso, mais de 1.000 licenças de mineração de bitcoin haviam sido emitidas anteriormente, incluindo a Iminer, uma importante operação de mineração de bitcoin baseada na Turquia.

Rajabi Mashhadi também enfatizou que quem denunciar fazendas ilegais de mineração de criptomoedas será recompensado.

“O fornecimento de eletricidade é de grande importância para o público” e “não permitiremos que aqueles que abusam das tarifas previstas para os setores agrícola e industrial produzam bitcoins”, concluiu.

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, pediu a criação de uma criptomoeda muçulmana em dezembro do ano passado, em cooperação com a Turquia e a Malásia. Recentemente, ele apoiou a criação de uma estratégia nacional de mineração de criptomoedas para que o país prosperasse economicamente em meio às sanções dos EUA.