Passfolio

Você sabia que criptomoedas viciam? Pois é verdade, elas podem viciar e causar grandes transtornos em sua vida pessoal e profissional. Sete sinais comportamentais podem indicar que você precisa tomar cuidado e até buscar um tratamento.

Assim como em qualquer outra forma de enriquecimento rápido, as criptomoedas podem causar vício. 

Em tempos de crise e de inflações altas, elas se tornam muitas vezes as alternativas mais recorrentes das pessoas.

De acordo com Sérgio Rocha, psiquiatra e diretor técnico da Clínica Revitalis, o mercado tem todos os elementos necessários para uma pessoa desenvolver uma dependência. “A possibilidade de enriquecimento rápido promove fortes emoções e ativa a circuitaria cerebral ligada a reforço positivo. Para as pessoas vulneráveis pode ser um grande risco”, explica ele.

Passfolio

Os sinais de que você pode ser viciado em criptomoedas

O psiquiatra relata que o vício acaba acontecendo muito por conta da própria volatilidade, da incerteza da possibilidade de ganhos altos e da grande produção de adrenalina que o investimento em criptomoedas provoca.

Não que todo mundo vá se tornar um viciado; mas, quem tem tendência provavelmente vai entrar nesse tipo de movimento, porque ficará adrenalizado com a expectativa de algo, é um dos grandes pontos da adicção”, explica o médico.

É importante que o usuário de criptomoedas tenha consciência, esteja atento aos seus comportamentos, Rocha conta que o vício dá alguns indícios entre eles o de que a pessoa está passando a maior parte do dia avaliando gráficos, tentando entender sobre o assunto, seguindo o mercado em detrimento de outras coisas, em trabalho, família, atividades de laser, manutenção de saúde.

“Ela deixa de fazer outras coisas por estar envolvida com o mercado de criptomoedas gerando prejuízo para a vida pessoal”, exemplifica o psiquiatra.

O tratamento

Rocha relata que quando perdemos o controle, a recuperação não vai acontecer a partir apenas da força de vontade, mas sim, principalmente de princípios que terão de serem adotados, e do apoio de uma rede de pessoas. “Lembrando mais uma vez: o mercado de criptomoedas não é jogo, é um mercado que tem características compartilhadas com um jogo. O dependente, ou o adicto pode desenvolver todos os tipos de perda. Na verdade, as perdas financeiras e pessoais nas questões de jogo são mais intensas, ou até mesmo mais rápidas do que em qualquer questão adictiva. A própria característica da adicção em si: em cima da adrenalina, de expectativas de enriquecimento e possibilidades de empobrecimento rápido”, lembra o psiquiatra.

Não existem dados sobre a adicção em criptomoedas em específico, mas segundo Rocha existe um paralelo entre os adictos a jogos e o mais grave,  eles são a população que mais comete suicídio entre os adictos.

“Atendi muito poucos casos, não foram mais do que três e existe uma dificuldade grande de reconhecimento disso. Dificilmente a pessoa chega por conta própria, normalmente ela chega já devastada e com uma outra doença. A adicção em criptomoedas especificamente não chega dizendo que foi afetada ou está dependente do mercado de criptomoedas em si.”

“Ela chega deprimida, ela chega após uma tentativa de suicídio, ela chega trazida por sua família com mudanças comportamentais significativas, como mudança no sono, alimentação, maior nível de irritabilidade, mudança no comportamento interpessoal com os filhos, família. Então a gente vai rastreando e chega nesse ponto e isso tem que ser tratado de forma delicada até pelo tabu que existe e pela pouca quantidade de informação científica a respeito. Então essa adicção pode ser encaixada em outras compulsões. Não existe um diagnóstico formal para criptomoedas em si, mas ela tem características para ser encaixada em outras compulsões dentro dos nossos manuais diagnósticos”, relata Sérgio.

O psiquiatra acredita que exista uma tendência de aumento de casos até que haja uma estabilização.

“Qualquer tipo de desenvolvimento adictivo, seja de dependência química ou comportamental, quando é novo na população, tem de alcançar um platô, e ficar ali um tempinho. Não temos como prever até onde isso vai, como esse mercado ainda está em profusão. De qualquer forma, acredito que o esclarecimento a respeito dessa faceta pode ajudar pessoas que sabem que são vulneráveis, a se manter afastados. Como eu disse, o potencial de desenvolver uma adicção em torno desse sistema é bem maior do que outros sistemas de investimento, que são menos agressivos e mais regulados”, finaliza Rocha.

Sete sinais que indicam o vício:

Abaixo os sinais que podem indicar o desenvolvimento da obsessão pelo mercado de criptomoedas:

1.    As criptomoedas se tornam tudo em sua vida: Ocorre um estreitamento do seu repertório pessoal: Você só pensa em criptomoedas e a sua vida gira em torno delas, nada mais existe para você.

2.    Só as criptomoedas geram interação e estímulo para você: Existe uma necessidade cada vez maior de interagir com o estímulo de escolha em detrimento de claras perdas em outras áreas da vida. Você passa a interagir e a sentir estímulos apenas em coisas que tenham relações com as criptomoedas.

3.    Você troca tudo pelas criptomoedas: Troca de atividades, pessoas e crenças que antes eram muito valorizadas, pelo objeto da compulsão em questão, no caso as criptomoedas.

4.   Você abandona tudo e todos pelas criptomoedas: Sensação de distanciamento de amigos e familiares. Você deixa de ver os amigos, namorado/namorada, familiares para apostar em criptomoedas, jogar com criptomoedas, ou simplesmente estar com as criptomoedas.

5.  Na sua mente e cabeça só existem as criptomoedas:  Perda de concentração em atividades não relacionadas à sua obsessão, que no caso são as criptomoedas.  Você não consegue se concentrar em nada, pois pensa apenas em criptomoedas e no que consegue fazer para ganhar ainda mais.

6.  Apostar nas criptomoedas se torna um saco sem fundo, você não consegue parar mais:  Aumento progressivo de investimentos em criptomoedas. Não basta ter muitas criptomoedas, você quer cada vez mais, e o mais nunca é o suficiente para você.

7.    Você deve para todo mundo, porque mesmo sem criptomoedas, não para de investir nelas: Súbitos pedidos de empréstimos ou apoio financeiro. Você perde o controle sobre as suas finanças e acaba gastando bem mais do que tem, porque quer cada vez mais criptomoedas.

Leia mais:

https://cointimes.com.br/medo-de-se-viciar-em-cripto-conheca-algumas-historias-reais/

Passfolio