O famoso apresentador e deputado federal Celso Russomanno, em matéria para o programa Cidade Alerta da Record, acabou atacando todo o mercado de criptomoedas brasileiro. Como resposta, a ABCripto soltou uma impactante nota de repúdio.

Conforme mostrado no artigo publicado ontem pelo Cointimes, o Deputado Celso Russomanno associa todo o mercado de criptomoedas a grupos criminosos ao confundir a moeda bitcoin com golpes aplicados com ela.

“Tem gente ganhando dinheiro com isso? Tem. Sabe quem ganha dinheiro com isso? Quem tá dando o golpe. Pode ter certeza.”, afirmou Celso.

Seria como se Celso tivesse culpado a moeda brasileira por todos os golpes e estelionatos que acontecem no país. Deveríamos associar o real ao crime? Se uma moeda tem ligação com o crime, com certeza não é o bitcoin.

O que dizer da atitude do governo ao roubar a poupança dos brasileiros? E o que falar da política inflacionária que anualmente destrói o poder de compra de todo o país? E dos bilhões roubados do povo brasileiro em escândalos políticos? Se uma moeda é de criminosos, ela seria o real.

De acordo com a empresa de análise de dados em blockchain ChainAlysis, que presta serviços para órgãos governamentais, exchanges e serviços tradicionais, mostrou que apenas 0,5% do fluxo de bitcoin é proveniente de transações ilícitas.

Fluxo de bitcoin proveniente de transações ilícitas se mantém em cerca de 0,5%
Fluxo de bitcoin proveniente de transações ilícitas. Fonte: ChainAlysis

O Bitcoin, assim como o real, é apenas um meio pelo qual as pessoas transferem valor. E é defendendo toda a indústria da desinformação que a ABCripto enviou uma nota de repúdio.

Quem é essa tal de ABCripto?

logo da ABCripto
Logo da ABCripto.

A ABCripto, ou Associação Brasileira de Criptoeconomia, nasceu em setembro de 2018 em São Paulo. Ela então passou a instituir uma infraestrutura de especialistas no mercado de criptoativos e blockchain, unindo esforços das maiores empresas e exchanges do sistema brasileiro.

A entidade atua através de múltiplos grupos de trabalho com funções específicas: Regulação, Projeto de lei, Tributação, Regulação de fundos cripto e exchanges, Ética, Inovação, Tokens, Relacionamento bancário, Relações governamentais, Compliance, Certificação profissional, Premiação e Índice BTC em Reais.

Leia mais em: ABCripto apresenta índice e Certificação de Profissional de Bitcoin

Como a ABCripto lembra bem, as empresas idôneas do mercado seguem rígidos procedimentos de segurança e padrões operacionais impostos pela Receita Federal. Mesmo assim, são frequentemente confundidas com esquemas criminosos.

Ao espalhar desinformação em TV aberta, Russomanno propaga o entendimento errôneo acerca do mercado, dificultando inclusive o combate consciente às fraudes que envolvem criptomoedas.

Confira a nota na íntegra:

“NOTA DE REPÚDIO 

A Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto) vem a público lamentar a total falta de conhecimento de Celso Russomanno sobre o bitcoin e o funcionamento do mercado no Brasil. É inadmissível o tratamento dado na edição de 25 de julho de 2020 do programa Cidade Alerta, da TV Record.

A ABCripto representa as principais empresas do setor, que atendem rígidos procedimentos de segurança e padrões operacionais de acordo com a Instrução Normativa n. 1888 da Receita Federal.

Os agentes criminosos que se utilizaram de criptoativos têm tido cada vez mais dificuldades para ocultar as transações, graças aos avanços no monitoramento.

Russomanno, portanto, promove um desserviço quando diz todos aqueles absurdos durante o programa – e desconsidera por completo as milhões de pessoas que operam legalmente criptoativos.

Seria natural supor que Russomanno tivesse dúvidas acerca do tema e é justamente por isso que estamos aqui. Seria mais simples, ao invés de reduzir o bitcoin a um grupo criminoso, buscar entender o funcionamento para oferecer as informações corretas à audiência do programa.

Associação Brasileira de Criptoeconomia – ABCripto”

Tentamos entrar em contato com Celso Russomanno, mas não obtivemos resposta imediatamente.