Passfolio

As ações de crescimento, como as de tecnologia, passaram por um ano difícil, mas o JPMorgan acredita que agora estão parecendo mais atraentes do que suas avaliações.

O mercado acionário tem sido atormentado por um amplo sentimento de afastamento do risco este ano, uma vez que os investidores saem das ações de crescimento em meio a um cenário macro preocupante. 

A guerra na Ucrânia, a alta da inflação, e o contínuo aumento das taxas de juros pelo banco central dos EUA deixaram os investidores clamando por apostas mais seguras em um mercado volátil.

Uma série de decepções em relação aos ganhos, particularmente em setores de crescimento, agravaram o nervosismo do mercado.

Passfolio

Mas o sentimento do mercado parece estar mudando, embora cautelosamente. Dos 10 principais setores do S&P 500, 8 registraram ganhos nos últimos um mês, de acordo com dados da FactSet. 

A tecnologia foi o segundo setor com melhor desempenho durante o período, ganhando 5,7%.

“A virada nas taxas de juros sugere que o melhor desempenho recente do estilo de crescimento sobre o valor pode continuar. Temos argumentado para favorecer o crescimento sobre o valor, o que também pode ser expresso através de uma melhor demonstração do setor de tecnologia.”

Disseram os estrategistas do JPMorgan em uma nota de pesquisa de 25 de julho.

Os analistas acrescentaram também que o recuo mais amplo nos preços das commodities está dando alívio à pressão inflacionária.

As ações de crescimento são aquelas de empresas com fluxo de caixa positivo substancial e sustentável, essas ações apresentam um grande potencial de crescimento de maneira mais rápida que a média de empresas do mesmo setor. 

Empresas com esse perfil geralmente atuam em mercados que passam por expansão, com aumento contínuo da demanda de seus produtos e serviços e utilizando parte de seus lucros para financiar o próprio crescimento. Por isso as ações de crescimento traçam projeções de retornos exponenciais em prazos menores.

O JPMorgan escolheu uma série de ações de crescimento, que caíram significativamente de seus máximos de 12 meses e que, na opinião do banco, poderiam estar maduras para que investidores as comprassem durante a queda.

Ações para comprar na queda

Neste cenário, o JPMorgan escolheu ações de crescimento dos Estados Unidos que caíram pelo menos 40% de seus máximos de 12 meses.

Eles incluem a Zoom Video (ZM) e a empresa de análise de dados Palantir (PLTR) no setor de tecnologia.

Uma série de ações de serviços de comunicação também fizeram parte da lista do JPMorgan, incluindo Meta (META), Snap (SNAP), Walt Disney (DIS), e o serviço de namoro online Match Group (MTCH).

Outras ações que fizeram parte da lista do banco incluem o mercado imobiliário digital Zillow (Z) e a Uber (UBER).

Para investir em ações listadas na Bolsa de Valores de NY crie sua conta na corretora Passfolio, parceira oficial do Stocktimes.

Leia também:

Passfolio