Os tão aguardados números do produto interno bruto dos EUA foram divulgados e, como esperado, eles não são nada bonitos.      

O PIB dos Estados Unidos contraiu-se pelo segundo trimestre consecutivo. Em 28 de julho, o Departamento de Comércio dos Estados Unidos informou que o produto interno bruto havia caído 0,9% entre abril e junho.

Os Estados Unidos têm sofrido com um PIB negativo durante os primeiros seis meses deste ano, o que tradicionalmente significa que o país está em recessão. O valor para o primeiro trimestre foi de -1,6%, de acordo com o Bureau of Economic Analysis (BEA).

Entretanto, a administração do presidente Biden está fazendo todos os esforços para evitar o uso deste termo, para negar o caos econômico que está acontecendo em torno dele.

Passfolio

Biden criticado no Twitter

O presidente dos EUA, Joe Biden, do Partido Democrata, minimizou os resultados negativos do relatório econômico ao insistir que ele “não parece” indicar que os EUA tivessem entrado em recessão em um discurso de quinta-feira (28) na Casa Branca.

O tweet acima, uma das críticas com maior engajamento, diz “nunca vi Biden se mover tão rápido quanto hoje ao dizer “isso não me parece uma recessão…” e imediatamente fugiu dos repórteres.”

O colunista e autor David Marcus também comentou o ocorrido: “É reconfortante quando mentem para nós de uma maneira tão calma e grandiosa.” 

A mudança de significado

Além disso, foi relatado que a Wikipédia dos EUA mudou sua definição de recessão antes de trancar a página para novas edições.

A página agora diz que “em economia, uma recessão é uma contração do ciclo econômico quando há um declínio geral na atividade econômica. Recessões geralmente ocorrem quando há uma queda generalizada nos gastos (um choque adverso na demanda).”

Como publicado anteriormente pelo Cointimes, o governo capitalista de Biden está mudando ativamente o conceito de recessão diante dos olhos de seus cidadãos, compartilhando informações enganosas e contraditórias sobre a situação financeira e de trabalho no país.

Saiba mais: Norte-americanos estão gastando muito mais e comprando muito menos

Como a Wikipédia no português brasileiro ainda exibe o conceito historicamente aceito de recessão, aqui está para referência:

“Em economia, recessão é uma fase de contração no ciclo econômico, isto é, de retração geral na atividade econômica por um certo período de tempo, com queda no nível da produção (medida pelo produto interno bruto), aumento do desemprego, queda na renda familiar, redução da taxa de lucro, aumento do número de falências e concordatas, aumento da capacidade ociosa e queda do nível de investimento.

Costuma-se considerar que uma economia entra em recessão após dois trimestres consecutivos de queda no PIB.”

No início desta semana, o Fundo Monetário Internacional advertiu que provavelmente haveria uma recessão global em 2023.

A reação do mercado cripto

Apesar de os EUA estarem tecnicamente em recessão e a inflação permanecer a uma taxa dolorosamente alta, de 9,1%, os mercados cripto estão se beneficiando com isso.

A capitalização total do mercado aumentou 3,9% hoje, atingindo $1,15 trilhão, de acordo com a CoinGecko. Desde o final do ciclo atual, em 19 de junho, os mercados ganharam quase 34% para seus níveis atuais.

Os preços do bitcoin ultrapassaram US $24.000 pela primeira vez em sete semanas após a notícia sobre Biden. O BTC ganhou agora 16% durante a última quinzena. 

O Ethereum está no momento com um ganho de 5,3%, levando os preços do ETH para US $1.730 no momento da redação.

Em recessão ou não, as perspectivas macroeconômicas para o restante deste ano são sombrias, com uma crise de custo de vida, aumento dos preços de combustível e energia, e uma inflação desenfreada em todo o mundo.

Leia também:

Passfolio