Passfolio

Ao passo que investidores fugiram desta indústria em 2022 e, ainda que tenham se recuperado de algumas das perdas nos últimos dias, as ações de semicondutores caíram muito na semana passada.

A empresa de semicondutores Micron (MU) apresentou um panorama comercial significativamente mais fraco do que o esperado na semana passada, após o declínio da demanda, levantando preocupações de que a indústria esteja se encaminhando para um ciclo de baixas, em meio a temores mais amplos de uma retração econômica.

Se isso acontecesse, seria muito diferente da grande escassez de semicondutores que ocorreu no ano passado, quando a demanda aumentou em meio à pandemia de Covid-19, prejudicando a produção em indústrias de automóveis, aparelhos de consumo, computadores e smartphones.

Muitos analistas estão prevendo uma queda na indústria, e o banco japonês Nomura acredita que a maioria dos nomes no setor deve ser evitada, mas nomeou algumas exceções.

Passfolio

Tendo em vista que a memória semicondutora constitui um componente considerável da indústria de semicondutores da Ásia, e que o setor está “relativamente subvalorizado,” o banco destacou os gigantes sul-coreanos Samsung, maior fabricante de dispositivos semicondutores do mundo, e SK Hynix, com metas de preço de $84.000 (US $64) e $160.000 wons sul-coreanos (US $120), respectivamente, representando aumentos de 46% e mais de 70%do valor de fechamento de 5 de julho.

Semicondutores dos EUA

O Deutsche Bank descreveu a empresa americana Broadcom (AVGO) como um “porto seguro” na atual “macro tempestade,” devido a sua “combinação de produtos semicondutores com exposição relativamente mínima orientada ao consumidor,” dando a meta de preço de $700 dólares, representando o potencial aumento de quase 47%.

O banco sugere que a Broadcom tem uma “estabilidade desejável em um ambiente de crescente volatilidade macro/semi setorial e é um investimento atrativo para aqueles que valorizam retornos a longo prazo”.

O Citi, em uma nota de 5 de julho, nomeou o Analog Device (ADI) como sua principal escolha no setor por sua natureza defensiva, dando à empresa uma meta de preço de US $192, representando uma vantagem de cerca de 34%.

O Bank of America e a empresa de pesquisa de ações Morningstar listaram o fabricante holandês de equipamentos semicondutores ASML (ASML) como uma de suas principais escolhas no setor.

O Bank of America acredita que a empresa verá um “crescimento superior” em relação aos seus pares, sendo um “nome defensivo em tempos incertos.” As ações da empresa fecharam em cerca de $409 euros em 1º de julho, o que implica um aumento potencial de 79% na meta de preço do Bank of America de $733 euros sobre as ações.

Quanto ao Morningstar, a empresa acredita que “com TSMC (TSM), Intel (INTC) e Samsung (SSNNF), todos competindo pela liderança em tecnologia de processos, esperamos que a ASML seja a principal beneficiária, uma vez que vende ferramentas para os três fabricantes.”

Chuva de serras elétricas 

Neil Campling, diretor de mídia e pesquisa em telecomunicações da Mirabaud Equity Research, por outro lado, advertiu aos investidores que o setor de semicondutores apenas “parece opticamente barato” pois este é um setor que poderia continuar a enfrentar “riscos cíclicos e pressões de venda,” de modo que “não queremos tomar essa perigosa chuva de serras elétricas.”

Se interessou pelo setor? Para investir em ações listadas na bolsa de valores de NY, crie sua conta na corretora Passfolio.

Leia também:

Passfolio