Anthony Pompliano, cofundador da empresa Morgan Creek Digital, disse que sua visão do Bitcoin (BTC) como um hedge global se solidificou ao longo do tempo.

No mercado financeiro, um hedge é um ativo de segurança no seu portfólio, que serve para neutralizar a volatilidade de outros ativos, como ações.

“Eu acho que sempre fez parte da conversa”, disse Pompliano ao Cointelegraph em uma entrevista em 30 de janeiro sobre sua noção de Bitcoin como um hedge tradicional do mercado ao longo dos anos.

O especialista expressou uma garantia crescente neste conceito de Bitcoin como um hedge global, pois as evidências que suportam continuam a se apresentar. “Quanto mais dados você obtiver, mais poderá acreditar em alguma coisa”, acrescentou.

Continue lendo:
++ Por que o preço do Bitcoin está subindo?
++ Investidor da Unick Forex “comete suicídio” em Extremoz
++ Bitcoin a 100 mil dólares até dezembro de 2021, diz Anthony Pompliano

Bitcoin se comporta diferente dos ativos tradicionais

Nos últimos anos, Pompliano repetiu inúmeras vezes que via o Bitcoin como um ativo não correlacionado – o que significa que o ativo não necessariamente sobe e desce com o resto do mercado tradicional.

O cofundador do Morgan Creek expressou esse sentimento à CNBC em uma entrevista em agosto de 2019, já que o Bitcoin subiu de preço em meio a um período de incerteza econômica.

A visão de Pompliano continua a mesma

À medida que o espaço cripto amadurece, suas tendências e comportamentos de mercado relacionados também costumam mudar.

Pompliano, no entanto, não mudou sua posição sobre o Bitcoin como um ativo não correlacionado. “Não acho que minha opinião tenha mudado”, afirmou Pompliano, acrescentando:

“A parte mais importante do Bitcoin, quando se trata do hedge global, é o fato de ser um ativo não correlacionado – o que significa que, conforme as ações sobem ou descem, o Bitcoin não tem correlação com isso.”

Mencionando maio de 2019 como exemplo, Pompliano disse que o preço do Bitcoin se moveu na direção oposta do índice S&P500 do mercado tradicional, além de ouro, em meio a guerras comerciais e outras instabilidades do mercado mundial.

Pompliano chamou isso de correlação negativa para o Bitcoin.

“Quando você olha para essa correlação, isso se torna realmente importante como esse tipo de hedge global de instabilidade”, explicou ele. “É uma maneira de os investidores diversificarem sua riqueza e adicionarem uma camada de proteção que, sem o Bitcoin, eles não chegarão a outro lugar.”

O Bitcoin é responsável por 50% do capital de Pompliano, de acordo com uma entrevista à Cointelegraph em julho de 2019.