Em meio à crise do COVID-19, o principal movimento que se observou foi a busca pela liquidez por parte do mercado financeiro tradicional.

Diversos investidores encerraram suas posições no mercado de capitais como o Ibovespa e o S&P 500, fazendo com que esses ativos perdessem até 40% do seu valor de mercado em março de 2020.

Os investidores migraram então para o dólar ou para títulos do governo americano, buscando liquidez para futuramente se alocarem após a volta da estabilidade econômica.

Esse movimento se iniciou nas últimas semanas com a valorização dos principais índices do mundo, mas foi interrompido com o risco de uma segunda onda de infecções nos Estados Unidos e na China.

No mercado de criptomoedas não foi diferente, milhares de investidores encerraram suas posições nos principais ativos do mercado e migraram para as stablecoins (moedas lastreadas com ativos Fiats). Esse fato culminou na terceira maior queda da história do Bitcoin, no dia 13 de março de 2020.

Devido à alta demanda por criptodólares, muitas dessas moedas emitiram novos tokens dobrando o supply de stablecoins no mercado e fazendo com que o Tether atingisse um Marketcap superior aos 9 bilhões de dólares, e se tornando a terceira maior criptomoeda da atualidade (superando o XRP).

Fonte: Grayscale

Entretanto, apesar dessa alta quantidade de tokens de stablecoins ser excelente para o mercado de criptomoedas que agora possui uma liquidez maior, isso pode significar um risco muito grande para você! Em especial se atualmente você opera o par BTC/USDT ou se você possui essa stablecoin em sua carteira.

Suas stablecoins podem não valer nada (Risco Tether) 

Além de ser uma das maiores criptomoedas do mundo, o Tether também é uma das mais polêmicas (se não for a mais). Criada em 2015 e disponível para Trading inicialmente na Bitfinex, o ativo digital foi desenvolvido pelos mesmos criadores da Bitfinex. Esses desenvolvedores estão sendo processados pela corte norte-americana de Nova York por manipulação de mercado e emissão de tokens sem possuir lastro. O processo possui mais de 156 páginas e está em andamento desde 2019, sendo movido pelas Exchanges Bittrex e Poloniex.

Esse processo coloca a stablecoin Tether em um grande risco, visto que o caso abre um questionamento sobre seu valor e sua transparência. Tal questionamento pode significar um grande risco para os investidores que utilizam a criptomoeda, visto que, caso a empresa responsável pelo Tether seja condenada, isso poderá implicar em diversas sanções legais em relação ao ativo e, consequentemente, em uma potencial perda de seu valor.

Não apenas o Tether seria afetado como também todo o mercado de criptomoedas, incluindo você que investe em Bitcoin ou utiliza uma das stablecoins.

Tether, um risco sistêmico para o mercado

O Tether, atualmente, é o ativo que mais possui paridade com o Bitcoin. De acordo com estudo realizado pelo CoinMetrics, o par BTC/USDT possui um volume mensal de 2,91 bilhões de dólares, valor que é quatro vezes maior que o par BTC/USD (o segundo maior ativo pareado com o Bitcoin em termos de volume)

Fonte: Coinmetrics

Dado esse cenário, caso o Tether não possua o lastro de mais de 9 bilhões de dólares que esse afirma ter, iriam ocorrer dois movimentos principais no mercado:

  • Grande valorização do Bitcoin e outras criptomoedas.
  • Perda de liquidez do mercado, em especial das exchanges.

O Primeiro ocorre porque os detentores de Tether iriam tentar trocar seus tokens por outras criptomoedas, o que, consequentemente, afetaria os preços dos principais ativos digitais do mercado.

O segundo movimento seria por conta do fim da paridade BTC/USDT, o que tornaria o mercado muito menos líquido, dificultando a troca de moedas por Bitcoin e, consequentemente, dificultando as operações de Trading, além de aumentar o risco de insolvência das exchanges  que possuíssem reservas em USDT, causando o fim de algumas dessas plataformas e o prejuízo para diversos investidores.

No longo prazo, o fato da terceira maior criptomoeda do mundo não possuir valor, iria afetar consideravelmente a confiança dos investidores no mercado de criptomoedas de forma geral, e poderia ocasionar um Bear Market assim como ocorreu quando a Mt Gox foi roubada por Hackers.

Como você pode se proteger disso?

Você deve estar se perguntando como você pode se proteger desse risco sistêmico. Bem, a resposta é simples: Não use Tether!

Existem diversas outras opções de stablecoins mais confiáveis do que o Tether e que são auditadas e reguladas, entre elas a True USD e a USDC, além de stablecoins descentralizadas como a DAI.

Caso você queira saber mais sobre as formas de se prevenir em relação a isso e entender os riscos do Tether, baixe nosso report Mercurius Mondays 02, que lá fizemos um estudo completo sobre esse risco para você.