Grandes corporações já não conseguem mais ignorar a mudança proporcionada pela tecnologia do Bitcoin e sua evolução através das mais variadas blockchains. O Banco Itaú anunciou agora uma tokenizadora.

Bancos e blockchain

Seguindo a tendência mundial possibilitada com a invenção de Satoshi Nakamoto em 2008, muitas grandes corporações, que resistirem durante anos, começaram a demonstrar interesse e tentar algum tipo de aproximação com a tecnologia blockchain.

O mercado de Finanças Descentralizadas (DeFi) por si só já está entre os maiores bancos do mundo em capitalização de ativos!

O Banco Santander, por exemplo, já utiliza soluções blockchain em rede privada para transações financeiras internacionais e muitas grandes empresas já utilizam o modelo de registro de informação em blocos de dados distribuídos em redes públicas – permissionadas, ou não.

Passfolio

Tokenizadora do Banco Itaú

De acordo com reportagem da Valor, o banco Itaú BBA lançou a primeira debênture em token blockchain aprovado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Uma debênture é um título de dívida privada, onde investidores “emprestam” para uma empresa através da compra deste ativo financeiro, que normalmente possui prazo de validade e previsão de rentabilidade em forma de “juros” pagos ao dono do título.

Este evento é pioneiro no mercado financeiro brasileiro e pode abrir portas para que muitos outros ativos tradicionais sejam tokenizados e negociados através da blockchain, garantindo total soberania para seus detentores, sem a necessidade de custodiantes de confiança, eliminando alguns intermediários existentes, diminuindo custos operacionais e melhorando a rentabilidade tanto para os emissores dos ativos/tokens, como para os investidores.

A nova unidade responsável pelos tokens será a Itaú Digital Assets, liderada pela executiva Vanessa Fernandes.

Leia mais:

Passfolio